metropoles.com

Alesp aprova aumento de 50% no salário de governador e secretários

Pelo projeto, salário de Tarcísio de Freitas será de R$ 34,5 mil, ante os atuais R$ 23 mil pagos ao governador; vice também será beneficiado

atualizado

Compartilhar notícia

Fábio Vieira/Metrópoles
alesp sao paulo cpi (Comissão Parlamentar de Inquérito) para investigar as denúncias contra a operadora de saúde Prevent Senior
1 de 1 alesp sao paulo cpi (Comissão Parlamentar de Inquérito) para investigar as denúncias contra a operadora de saúde Prevent Senior - Foto: Fábio Vieira/Metrópoles

São Paulo – A Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) aprovou na tarde desta terça-feira (29/11) o projeto de lei que aumenta em 50% os salários do próximo governador, Tarcísio de Freitas (Republicanos), do seu vice e dos secretários que irão compor o novo governo a partir de janeiro de 2023.

Após algumas tentativas frustradas de votação nas últimas semanas, por falta de quórum, o projeto foi aprovado por 56 votos a favor e seis contrários, entre eles, parlamentares do Psol, do Novo, do PSDB e do Agir. O texto segue agora para sanção ou veto do governador Rodrigo Garcia (PSDB).

Pelo projeto aprovado, o salário do governador passará de R$ 23 mil para R$ 34,5 mil a partir de janeiro. Já o subsídio pago ao vice-governador, Felício Ramuth (PSD), subirá para R$ 32,8 mil, ante os atuais R$ 21,8 mil. E os secretários do futuro governo receberão R$ 31,1 mil por mês – hoje, o valor é R$ 20,7 mil.

Como o salário do governador é considerado o teto do funcionalismo paulista, o aumento provocará um efeito cascata nas demais carreiras públicas do estado. O impacto estimado nos cofres estaduais é de R$ 1,5 bilhão, segundo o governo tucano.

Hoje, um servidor que poderia receber mais do que os atuais R$ 23 mil, com o acúmulo de gratificações, por exemplo, tem o valor excedente descontado da folha de pagamento. Entre as carreiras diretamente beneficiadas pelo projeto, estão os auditores fiscais e os delegados de polícia.

Na semana retrasada, Tarcísio admitiu ser “necessário” promover um reajuste no salário do governador para permitir que os servidores recuperem poder de compra – o valor que estipula o teto do funcionalismo estava congelado desde 2019, quando foi feito o último reajuste no subsídio do chefe do Executivo estadual.

Gratuidade no transporte

Os deputados também aprovaram nesta terça-feira (29/11) a concessão de gratuidade no transporte público metropolitano para pessoas com idade entre 60 e 65 anos — acima disso, o Estatuto do Idoso já prevê o transporte gratuito. O benefício será concedido por meio de bilhete eletrônico de uso pessoal e intransferível.

Na Alesp, os parlamentares alteraram o projeto original enviado pelo governador Rodrigo Garcia, que restringia a gratuidade para pessoas de 60 a 65 anos em situação de pobreza e extrema pobreza inscritas no CadÚnico, do governo federal. Essa exigência foi retirada do texto aprovado.

Compartilhar notícia

Quais assuntos você deseja receber?

sino

Parece que seu browser não está permitindo notificações. Siga os passos a baixo para habilitá-las:

1.

sino

Mais opções no Google Chrome

2.

sino

Configurações

3.

Configurações do site

4.

sino

Notificações

5.

sino

Os sites podem pedir para enviar notificações

metropoles.comPolítica

Você quer ficar por dentro das notícias de política e receber notificações em tempo real?

Notificações