metropoles.com

Deputados querem aumentar em 50% salário de Tarcísio e secretários

Projeto que eleva subsídio do próximo governador de São Paulo para R$ 34,5 mil tramita em regime de urgência na Assenbleia Legislativa

atualizado

Compartilhar notícia

Fábio Vieira/Metrópoles
alesp sao paulo cpi (Comissão Parlamentar de Inquérito) para investigar as denúncias contra a operadora de saúde Prevent Senior
1 de 1 alesp sao paulo cpi (Comissão Parlamentar de Inquérito) para investigar as denúncias contra a operadora de saúde Prevent Senior - Foto: Fábio Vieira/Metrópoles

São Paulo – Deputados da Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) querem aumentar em 50% os salários do próximo governador, Tarcísio de Freitas (Republicanos), de seu vice e dos futuros secretários que irão compor o novo governo a partir de janeiro de 2023.

Pelo projeto colocado em pauta nesta terça-feira (8/11), em regime de urgência, pela Mesa Diretora, presidida pelo deputado Carlão Pignatari (PSDB), o salário do governador de São Paulo passará de R$ 23 mil para R$ 34,5 mil. Já o subsídio do vice, Felício Ramuth (PSD), será de R$ 32,8 mil, ante os atuais R$ 21,8 mil previstos em lei.

A proposta recebeu apoio não apenas dos partidos que apoiaram Tarcísio na campanha eleitoral, como o Republicanos, legenda do governador eleito, PL, PP, MDB e PSDB, como também do PT, do candidato derrotado no segundo turno, Fernando Haddad.

O texto prevê também aumento de 50% para os futuros secretários do governo Tarcísio, que receberão salário de R$ 31,1 mil, caso o projeto seja aprovado. Atualmente, os 23 integrantes do primeiro escalão do governo de Rodrigo Garcia (PSDB) recebem remuneração bruta mensal de R$ 20,7 mil.

Os deputados tentaram aprovar o reajuste do governador em sessão extraordinária no início da noite desta terça-feira, mas não houve quórum suficiente para votação. Apenas 26 dos 94 parlamentares registraram presença em plenário. Apesar disso, líderes partidários acreditam que a proposta seja aprovada nos próximos dias. Uma nova sessão foi convocada para esta quarta-feira (9/11). Para entrar em vigor em janeiro, quando toma posse o novo governo, a lei precisa ser aprovada até o fim deste ano.

Reajuste

A articulação polítca para reajustar o salário do governador é uma ótima notícia para Tarcísio. Como o Metrópoles mostrou na semana passada, o futuro chefe do Palácio dos Bandeirantes iria receber R$ 8,6 mil a menos como governador do que ganhava como analista legislativo da Câmara dos Deputados, em Brasília.

Durante a campanha, Tarcísio pegou três meses de licença remunerada para atividade política, prevista em lei, e continuou recebendo o salário de R$ 31,7 mil da Câmara. Nesta quinta-feira (10/11), ele terá de se apresentar em Brasília para se afastar do cargo para exercer o mandato de governador, o que o obriga a abrir mão do salário pago pelo Legislativo federal.

Compartilhar notícia

Quais assuntos você deseja receber?

sino

Parece que seu browser não está permitindo notificações. Siga os passos a baixo para habilitá-las:

1.

sino

Mais opções no Google Chrome

2.

sino

Configurações

3.

Configurações do site

4.

sino

Notificações

5.

sino

Os sites podem pedir para enviar notificações

metropoles.comSão Paulo

Você quer ficar por dentro das notícias de São Paulo e receber notificações em tempo real?