10 coisas que nem todo mundo sabe sobre o AVC

Segundo o Ministério da Saúde, a doença é a causa mais frequente de óbito entre a população adulta

atualizado 29/10/2018 14:42

iStock

No Dia Mundial de Combate ao AVC (29/10), elencamos 10 informações importantes a respeito da doença, que é uma das maiores causas de morte e incapacidade adquirida no mundo. Popularmente conhecido como “derrame”, ela mata uma pessoa a cada cinco minutos no Brasil. Atualmente, o país apresenta a quarta maior taxa de mortalidade por AVC entre as nações da América Latina e Caribe.

Segundo o Ministério da Saúde, a doença é a causa mais frequente de óbito entre a população adulta (10% dos óbitos) e representa 10% das internações hospitalares feitas pelo SUS. Um dos grandes problemas enfrentados pelos pacientes é que a maioria não retorna ao trabalho e necessita de assistência para cuidados básicos do dia a dia.

O AVC é uma disfunção que ocorre em determinada área do cérebro quando o fornecimento de sangue é interrompido ou uma artéria se rompe. Em cerca de 80% dos casos, são do tipo isquêmico: classificação do entupimento da artéria que impede a chegada do sangue às células nervosas. Nos outros 20%, o AVC é hemorrágico, ou seja, as paredes das artérias se rompem, inundando o sangue cerebral.

O neurologista Cláudio Carneiro, médico do Hospital Santa Lúcia, explica que o AVC é uma doença tempo-dependente, ou seja, quanto mais rápido o tratamento, maior a chance de recuperação completa. “Os protocolos internacionais preconizam uma janela de quatro horas e meia para tratar os pacientes com AVC. A verdade é que, quanto mais ágil o atendimento, maior é a chance de minimizar as sequelas”, diz.

Para o neurocirurgião do Santa Lúcia, os números apontam para uma série de fatores, que vão desde o avanço nos diagnósticos até a nova rotina da população brasileira. “O conhecimento médico melhorou, a tecnologia também. Além disso, as campanhas de prevenção têm ajudado muito e o acesso à informação aumentou. Era uma doença que matava muito, mas, hoje, já conseguimos reverter até os casos mais graves”, destaca. “Por outro lado, as pessoas enfrentam uma rotina caótica e, muitas vezes, não conseguem levar uma vida saudável”, acrescenta.

Hospital Santa Lúcia
Endereço: SHLS Quadra 716, Conjunto C, Setor Hospitalar Sul – Brasília/DF
Telefone: (61) 3445-0000

 

Últimas notícias