Zelensky diz que ataque russo em Kharkiv é “terrorismo” de Estado

Em novo pronunciamento em rede nacional, presidente da Ucrânia disse que tropas do país devem lutar para interromper avanço dos "inimigos"

atualizado 01/03/2022 11:12

Visão de praça em Kharkiv, repleta de escombros vistos após o ataque de mísseis do exército russo na cidade - MetrópolesServiço de Emergência do Estado da Ucrânia/Agência Anadolu via Getty Images

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, afirmou nesta terça-feira (1º/3) que os ataques russos a Kharkiv, a segunda maior cidade da Ucrânia, e que foi invadida por tropas da Rússia mais cedo, são um “terrorismo de Estado”.

Em novo pronunciamento em rede nacional, Zelensky disse que as tropas ucranianas devem lutar para interromper o avanço dos “inimigos”. E pediu que a comunidade internacional responsabilize o governo russo pelos ataques terroristas.

“É um terrorismo contra a cidade, terrorismo contra Kharkiv e contra o povo ucraniano. […] Isso é um terrorismo aberto e ostensivo. Não será perdoado e não será esquecido. Isso é um terrorismo estatal da Rússia. A Rússia é um país terrorista que tem de ser reconhecido oficialmente como tal. Pedimos a todos os países do mundo para reagir e reconhecer que a Rússia está fazendo um terrorismo, e precisamos que ela seja responsabilizada em todos os tribunais internacionais”, declarou.

“O objetivo do terror é nos quebrar, é quebrar a nossa resistência. Eles estão chegando à nossa capital [Kiev], depois de passar por Kharkiv. E a defesa da capital é uma prioridade para o Estado. Em todas as cidades, a Ucrânia deve fazer tudo o que pode para interromper esse inimigo”, prosseguiu Zelensky.

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
Publicidade do parceiro Metrópoles 2
Publicidade do parceiro Metrópoles 3
Publicidade do parceiro Metrópoles 4
Publicidade do parceiro Metrópoles 5
Publicidade do parceiro Metrópoles 6
0

Durante a madrugada, um míssil atingiu o prédio do governo regional de Kharkiv. Trata-se de um alvo civil. Segundo o jornal inglês The Guardian, o ataque foi uma tentativa de matar o governador de Kharkiv e a sua equipe.

O chefe da administração regional da cidade, Oleg Synegubov, disse que a Rússia usou mísseis disparados de um veículo militar. “Esses ataques são genocídio do povo ucraniano, um crime de guerra contra a população civil”, afirmou.

Em um vídeo feito por uma testemunha logo após o bombardeio, a rua aparece coberta por destroços e carros que estavam estacionados em frente ao prédio queimados.

Veja as imagens:

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
Publicidade do parceiro Metrópoles 2
Publicidade do parceiro Metrópoles 3
Publicidade do parceiro Metrópoles 4
Publicidade do parceiro Metrópoles 5
0

Conflito entre países

A Rússia e a Ucrânia vivem um embate por causa da possível adesão ucraniana à Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), aliança militar liderada pelos Estados Unidos. Na prática, Moscou vê essa possibilidade como uma ameaça à sua segurança. Os laços entre Rússia, Belarus e Ucrânia existem desde antes da criação da União Soviética (1922-1991).

Com autorização do presidente Vladimir Putin, tropas russas iniciaram, na madrugada da última quinta-feira (24/2), uma ampla operação militar para invadir a Ucrânia. Em pronunciamento, ele fez ameaças e disse que quem tentar interferir no conflito sofrerá consequências nunca vistas na história.

Já são seis dias de luta armada. O conflito é considerado a maior ofensiva militar registrada na Europa desde o fim da Segunda Guerra Mundial.

Mapa de ataques russos à Ucrânia terceiro dia

Mais lidas
Últimas notícias