Policial que prendeu filho de El Chapo é executado com 155 tiros

Homem foi atacado no estacionamento de um shopping. Ovidio Guzmán foi libertado em outubro após traficantes provocarem caos em Culiacán

ReproduçãoReprodução

atualizado 08/11/2019 16:00

Um policial de elite que ajudou a prender um dos filhos do traficante El Chapo foi executado com cerca de 155 tiros nessa quinta-feira (07/11/2019), no México. Ovidio Guzmán, de 28 anos, foi detido em 17 de outubro em uma operação que pretendia extraditá-lo para os Estados Unidos. No entanto, traficantes reagiram com violência à prisão do herdeiro do chefe do Cartel de Sinaloa e oito pessoas morreram. As autoridades do país decidiram então soltá-lo.

Segundo o jornal britânico The Mirror, o agente foi identificado apenas como Eduardo N., de 32 anos. Ele foi atacado no estacionamento de um shopping center na cidade de Culiacán, no México. Imagens das câmeras de segurança do estabelecimento mostram, segundo o Daily Mail, um carro vermelho seguindo um veículo branco até o local do crime antes de os criminosos dispararem 155 vezes contra o policial. Não se sabe se Eduardo estava em serviço no momento do ataque. As autoridades investigam o caso.

Prisão, caos e fuga
Ovidio Guzmán foi alvo de operação policial em Culiacán, capital do estado de Sinaloa, o reduto da organização criminosa de El Chapo. Após apreendê-lo, a Guarda Nacional enfrentou uma violenta resistência armada pelas ruas da cidade. Oito pessoas morreram, 21 ficaram feridas e um cenário de caos pelo país até que a Guarda Nacional bateu em retirada e liberou Guzmán.

Andrés Manuel López Obrador, presidente do México, defendeu a decisão pela liberdade do traficante. “A captura de um criminoso não pode valer mais que a vida das pessoas”, disse o líder, mais conhecido como AMLO, ao reiterar a “boa decisão” da Guarda Nacional.

Últimas notícias