Suspeita de enviar carta com substância tóxica a Donald Trump é presa

De acordo com a imprensa internacional, o FBI identificou a presença de ricina no envelope, proteína encontrada na semente da mamona

atualizado 20/09/2020 20:38

Uma mulher foi presa neste domingo (20/9) suspeita de enviar uma carta contendo a substância tóxica ricina ao presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

Segundo a imprensa norte-americana, fontes do FBI, departamento de investigação do país, informaram que a prisão ocorreu em um posto de fronteira no estado de Nova York.

De acordo com essas fontes, a mulher carregava uma arma e foi presa pelas autoridades dos EUA.

Na semana passada, uma carta com uma substância letal foi enviada à Casa Branca e a agências federais no Texas, nos Estados Unidos.

O FBI identificou a presença de ricina dentro de envelope, uma proteína encontrada na semente da mamona.

A carta enviada à Casa Branca, endereçada ao presidente Donald Trump, foi pega já na etapa final de avaliação antes de ser encaminhada à sala de postagem.

“O FBI, o Serviço Secreto e o serviço de inspeção postal estão investigando uma carta suspeita recebida pela Casa Branca. Neste momento, não há nenhuma ameaça à segurança pública”, disse o órgão.

A mamona, que contém a proteína ricina, é uma das plantas mais tóxicas do mundo e pode matar uma pessoa com uma pequena quantidade da substância.

Últimas notícias