Agência de saúde dos EUA autoriza uso emergencial de vacina da Moderna

Em comunicado, o FDA destacou que poderão ser imunizados indivíduos com mais de 18 anos

atualizado 18/12/2020 22:26

Reino Unido inicia vacinação em massa contra o coronavírusVictoria Jones - Pool / Getty Images

A Food and Drug Administration (FDA, Administração de Alimentos e Medicamentos, em português), agência de saúde dos Estados Unidos, autorizou, nesta sexta-feira (18/12), o uso emergencial da vacina contra a Covid-19 desenvolvida pela Moderna. O imunizador é o segundo liberado no país, uma semana após a FDA dar aval para a distribuição da fórmula da Pfizer e da BioNTech. São informações do Estadão.

Em comunicado, o órgão destacou que poderão ser imunizados indivíduos com mais de 18 anos. A expectativa é de que a farmacêutica distribua quase 9 milhões de doses para todos os estados e territórios já na próxima semana.

“Com a disponibilidade de duas vacinas para a prevenção da Covid-19, a FDA deu mais um passo crucial na luta contra a pandemia que está provocando grande número de hospitalizações nos EUA todos os dias”, destacou o comissário da agência, Stephen M. Hahn.

O aval da agência acontece um dia depois de um painel consultivo concluir, por 20 votos a favor e uma abstenção, que os efeitos positivos do imunizante da Moderna se sobrepõem a riscos potenciais. Após revisar os testes clínicos, os especialistas confirmaram a eficácia de 94,1% do produto.

A imunização nos EUA começou na última segunda-feira (14/12), com a vacina da Pfizer. Nesta sexta, o vice-presidente americano, Mike Pence, e a presidente da Câmara dos Representantes, Nancy Pelosi, foram vacinados. O presidente eleito do país, Joe Biden, deve receber a primeira dose na segunda-feira (21/12).

Últimas notícias