Rússia faz ofensiva contra bases de armamentos do Ocidente na Ucrânia

Russo Vladimir Putin já havia reclamado, em conversa com o presidente francês Macron, sobre o envio de armas para Kiev

atualizado 04/05/2022 19:39

Homem passa perto de máquinas militares russas destruídas na floresta no norte de Kiev, UcrâniaMaxym Marusenko/NurPhoto via Getty

Um dia depois da reclamação do presidente da Rússia, Vladimir Putin, ao colega francês Emmanuel Macron sobre o fornecimento de armas do Ocidente para a Ucrânia, as tropas russas realizaram uma ofensiva contra espaços que armazenam armamento ucraniano.

O Ministério da Defesa da Rússia informou, nesta quarta-feira (4/5), que as fontes de energia de seis estações ferroviárias foram bombardeadas, o que impossibilita o fornecimento de material bélico para o leste do país.

Outros quatro depósitos de munição teriam sido atingidos, além de 40 alvos militares da Ucrânia. De acordo com o Kremlin, os alvos possibilitavam que o “grupo de tropas ucranianas no Donbass [área separatista no leste] fosse abastecido com armas e munições fabricadas nos Estados Unidos e em países europeus”.

Os soldados de Putin também teriam disparado dois mísseis de cruzeiro, a partir de um submarino posicionado no Mar Negro. O bombardeio teve como alvo armas fornecidas para a Ucrânia.

A Rússia reitera que pretende eliminar qualquer transporte que “abriguem armas da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) para a Ucrânia”.

Sem confirmar se os ataques atingiram depósitos com material bélico, o governo ucraniano se deteve a dizer que o inimigo, “a fim de destruir a infraestrutura de transporte da Ucrânia, disparou mísseis contra instalações nas regiões de Dnipropetrovsk, Kirovohrad, Lviv, Vinnytsia, Kiev, Zakarpattia, Odessa e Donetsk”.

Receba notícias do Metrópoles no seu Telegram e fique por dentro de tudo! Basta acessar o canal: https://t.me/metropolesurgente.

Mais lidas
Últimas notícias