Vaticano pune bispos acusados de encobrir abusos sexuais na Polônia

Edward Janiak e Slawoj Leszek Glod serão proibidos de celebrar missas em público e deverão contribuir financeiramente com vítima de abuso

atualizado 29/03/2021 14:35

papa Francisco celebra missa de páscoa Reprodução

O Vaticano informou, nesta segunda-feira (29/3), que vai punir dois bispos acusados de encobrir abusos sexuais na Polônia. Edward Janiak, ex-bispo de Kalisz, e Slawoj Leszek Glodz, ex-arcebispo de Gdansk, serão proibidos de celebrar missas em público e deverão contribuir financeiramente com um fundo que ajuda vítimas de abuso.

Segundo a embaixada da Santa Sé na Polônia, os bispos também terão que deixar as dioceses. Eles já haviam renunciado ao cargo por conta de revelações divulgadas nos últimos meses que abalaram a Igreja Católica na Polônia.

O comunicado da Nunciatura Apostólica afirma que Janiak e Glodz estão sendo punidos “com base nas disposições do Código de Direito Canônico” e nas novas normas do Papa Francisco para combater o abuso sexual do clero.

Os casos

Em agosto de 2020, o Papa Francisco aceitou a renúncia de Glodz, conhecido pelo estilo de vida luxuoso, após acusações de que havia intimidado padres e mantido silêncio sobre os abusos.

Em outubro do ano passado, o embaixador do Vaticano anunciou a renúncia de Janiak, que também foi acusado de encobrimento.

As acusações contra ele protagonizaram um documentário que gerou um debate nacional sobre os abusos dentro do clero, um tópico tabu na Polônia.

Mais lidas
Últimas notícias