*
 

Autoridades da Tailândia informaram que as tentativas de resgate de 12 crianças e um treinador de uma caverna no norte do país têm tempo limitado. As equipes de apoio correm contra as previsões de chuva e a diminuição do oxigênio no subsolo.

Nesta sexta-feira (6/7), completa 13 dias que o grupo está preso no local e a operação de socorro massiva dentro e ao redor do complexo de cavernas Tham Luang Nang Non continua com a ajuda de equipes internacionais.

“Não podemos mais esperar para que todas as condições estejam boas, porque as circunstâncias estão nos pressionando”, disse o comandante Arpakorn Yookongkaew. “Originalmente, pensávamos que os meninos estariam seguros dentro da caverna por algum tempo, mas os cenários mudaram. Nós temos uma quantidade limitada de tempo.”

Os níveis de oxigênio dentro da caverna diminuíram por conta da quantidade de pessoas que trabalham no local. As equipes começaram a estabelecer uma linha de oxigênio pelas câmaras, disse o governador da província de Chiang Rai, Narongsak Osatanakorn. Nesta sexta-feira, um ex-mergulhador da Marinha tailandesa desmaiou enquanto mergulhava e morreu por falta de oxigênio.

De acordo com o major-general Chalongchai Chaiyakam, a missão mais urgente no momento é o estabelecimento da linha de oxigênio, que está ligada a uma linha telefônica instalada na tentativa de criar um canal de comunicação das crianças com suas famílias. Na câmara onde está o grupo, também estão quatro marinheiros, incluindo um médico.

As autoridades têm trabalhado rapidamente no bombeio da água para fora da caverna antes que mais tempestades aumentem os níveis da inundação. No momento, o único método possível de saída é pelo mergulho. A opção é extremamente perigosa, mesmo para aqueles com experiência.

A morte do marinheiro nesta sexta (6) ressalta os riscos. O profissional estava trabalhando voluntariamente e morreu quando colocava cilindros de oxigênio ao longo da rota utilizada para chegar às crianças, informou o comandante Arpakorn.

Os cilindros permitem que os mergulhadores fiquem submersos por mais tempo durante a viagem de seis horas entre o acesso à caverna e a câmara onde o grupo está preso. O socorrista desmaiou enquanto estava submerso. Os esforços para ressuscitá-lo falharam. “Apesar disso, continuaremos até cumprirmos nossa missão”, ressaltou Arpakorn.

O governador da Província disse que os 13 presos na caverna podem não ser retirados ao mesmo tempo. Isso vai depender de como estará o estado de saúde de cada um. Os garotos estão fracos, mas fisicamente saudáveis em sua maioria.

Eles treinam como usar máscaras de mergulho e a respiração, caso a medida seja adotada. As autoridades preferem que o grupo seja retirado o mais rápido possível, porque chuva forte é esperada para o sábado (7).

A expectativa é de que os esforços de drenagem possam reduzir a quantidade de água em áreas onde os níveis estejam próximos ao teto. A ideia é conseguir algum espaço para que os garotos não dependam dos aparelhos de mergulho por longos períodos e possam manter suas cabeças acima da água.

Segundo especialistas em resgate de cavernas, pode ser mais seguro fornecer nutrientes aos meninos e esperar para que a inundação diminua. Isso pode levar meses, dado que a estação chuvosa na Tailândia costuma durar até outubro. E sem os níveis de oxigênio adequados, a permanência na caverna pode ser fatal.