metropoles.com

Portão de Rafah é liberado, mas sem lista; Israel reabre rota em Gaza

Corredor para civis entre norte e sul da Faixa de Gaza volta a ser garantido por Israel, mas não há lista para saída do território em Rafah

atualizado

Compartilhar notícia

Imagem colorida mostra Palestinos viajam para a parte sul da Faixa de Gaza enquanto os ataques israelenses continuam rafah - Metrópoles
1 de 1 Imagem colorida mostra Palestinos viajam para a parte sul da Faixa de Gaza enquanto os ataques israelenses continuam rafah - Metrópoles - Foto: null

O tenente-coronel Avichay Adraee, porta-voz das Forças de Defesa de Israel, afirmou que o país abrirá mais uma vez um corredor para os civis seguirem do norte para o sul da Faixa de Gaza. Os militares afirmam fazer essa abertura para que a população escape da ofensiva feita contra o grupo extremista Hamas no norte do território. No sul, a passagem de Rafah foi liberada pelo Egito, mas sem lista de nomes.

O local é utilizado para que doentes, portadores de passaportes de dupla cidadania e estrangeiros saiam de Gaza e atravessem para o Egito. O fechamento do portão aconteceu na quarta-feira (8/11) por motivos de segurança.

Na manhã desta quinta-feira (9/11), o Egito deu autorização para que o portão fosse reaberto. No entanto, não há lista para que seja liberada a travessia. Os 34 brasileiros que permanecem em Gaza também aguardam.

0

Até o momento, as autoridades liberaram seis listas, com centenas de nomes. Em nenhuma delas, porém, constavam os 34 brasileiros e familiares que seguem à espera de autorização para deixar a região. Deve haver nova tentativa de abertura ainda nesta quinta-feira (9/11).

Rota para chegar a Rafah

No caso do corredor entre o norte e o sul, Adraee publicou no X que Israel abrirá a rua Salah-al-Din entre 10h e 16h. Isso significa um aumento no período, que antes era de quatro horas. Segundo o porta-voz, cerca de 50 mil habitantes da Cidade de Gaza podem aproveitar a rota.

Os alertas constantes de Israel são de que a parte norte do território faz parte da principal zona de batalha contra o Hamas, e é o principal reduto do grupo que cometeu ações terroristas em 7 de outubro. Naquele dia, integrantes do Hamas invadiram o território israelense e mataram milhares de civis.

“Não dê ouvidos ao que dizem alguns líderes do Hamas nos seus hotéis no estrangeiro ou nos locais subterrâneos que organizaram para si próprios e para os seus familiares”, alertou o militar. “Para sua segurança, aproveite [a abertura de Salah a-Din] para avançar para o sul, além de Wadi Gaza”, continuou.

Compartilhar notícia

Quais assuntos você deseja receber?

sino

Parece que seu browser não está permitindo notificações. Siga os passos a baixo para habilitá-las:

1.

sino

Mais opções no Google Chrome

2.

sino

Configurações

3.

Configurações do site

4.

sino

Notificações

5.

sino

Os sites podem pedir para enviar notificações

metropoles.comNotícias Gerais

Você quer ficar por dentro das notícias mais importantes e receber notificações em tempo real?

Notificações