Putin manda governo sabotar sanções e proíbe a venda de 200 produtos

A ideia é criar "contrassanções", como chamam a manobra, aos países do Ocidente. "As sanções contra a Rússia não são legítimas", diz Putin

atualizado 10/03/2022 17:41

Vladimir Putin, presidente da Russia. Ele veste blazer escuro e camiseta branca - MetrópolesMikhail Svetlov/Getty Images

Pressionado, o presidente russo, Vladimir Putin, convocou ministros do governo para criar formas de “sabotar” as sanções econômicas contra o país. A Rússia tem sofrido embargos após ter invadido a Ucrânia, em 24 de fevereiro.

Nesta quinta-feira (10/3), no Kremlin, sede do governo russo, Putin reuniu integrantes da cúpula do governo das áreas de Economia, Defesa e Comércio Exterior.

“As sanções contra a Rússia não são legítimas. O Ocidente tenta culpar a Rússia por seus próprios erros”, reclamou Putin ao abrir a reunião.

Proibição

O governo proibiu a exportação de 200 produtos até o fim de 2023. São equipamentos nas áreas de telecomunicação, médica, automobilística, elétrica, agricultura e tecnologia. A medida tinha sido anunciada na terça-feira (8/3), mas não havia detalhamento.

A decisão é a resposta russa às sanções e aos bloqueios impostos pelo Ocidente. “Esta é a resposta lógica às medidas impostas contra a Rússia. Elas têm por objetivo interromper setores fundamentais da economia”, disse o ministro da Economia russo.

Além desses equipamentos, alguns produtos provenientes de exploração florestal, como madeira, foram proibidos, pontuou o ministro, sem entrar em detalhes de quais seriam.

Embargos

Se a guerra parece longe do fim, as sanções contra a nação comandada pelo presidente Vladimir Putin, não. Líderes de Reino Unido, Canadá e Holanda anunciaram “coalizão militar e econômica” contra a Rússia, que reclama de uma “guerra econômica”.

Nenhum conflito armado tem efeitos restritos ao front. Quando o assunto é economia, o mundo assiste à disparada do preço do petróleo e se preocupa. Os Estados Unidos proibiram a compra do petróleo russo com o objetivo de isolar Putin. No Brasil, a Petrobras reajustou o preço da gasolina e do gás de cozinha.

O preço do barril de petróleo bruto Brent subia mais de 4% nesta quinta-feira, em resposta à negativa dos Emirados Árabes de aumentar a produção. O barril chegou a ser negociado a US$ 115,38.

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
Publicidade do parceiro Metrópoles 2
Publicidade do parceiro Metrópoles 3
Publicidade do parceiro Metrópoles 4
Publicidade do parceiro Metrópoles 5
Publicidade do parceiro Metrópoles 6
0

Economia despenca

Nas terras comandadas por Vladimir Putin, os preços estão em disparada após uma série de sanções econômicas de países do Ocidente.

A inflação está em alta. O rublo, moeda oficial, extremamente desvalorizado. Isso sem abordar a crise no setor do petróleo com os embargos contra o óleo produzido no país.

Agências internacionais de notícias informaram nessa quarta-feira (9/3) que a inflação anual na Rússia acelerou para 9,15% em fevereiro, ante 8,73% em janeiro. É a maior alta em sete anos. O preço de pão, açúcar, gasolina e materiais de construção disparou.

Mais lidas
Últimas notícias