Trump diz que “não se importaria” de negociar com Irã

O presidente dos Estados Unidos colocou como condição o fim de repressão aos protestos e o compromisso do país de não ter arma nuclear

atualizado 13/01/2020 9:18

Getty Images

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, usou suas redes sociais neste domingo (12/01/2020) para dizer que “não se importaria” de negociar com o Irã. Segundo o presidente norte-americano, essa negociação “depende totalmente deles (iranianos)”.

Trump voltou a colocar como condição para a retomada de tratativas, o fim da repressão aos protestos que ocorrem no país persa e a abdicação de posse de armas nucleares por parte do Irã.

“O Conselheiro de Segurança Nacional sugeriu hoje que as sanções e protestos ‘sufocaram’ o Irã a forçá-los a negociar. Na verdade, eu não me importaria se eles negociassem. Depende totalmente deles, mas não há armas nucleares e ‘não mate seus manifestantes'”, disse Trump, referindo-se à sugestão feita pelo Conselho Nacional de Segurança norte-americano.

Em meio à crise que se criou após o ataque ordenado por Trump, que vitimou o general Qassim Suleimani, os EUA, na última sexta-feira (10/01/2020) confirmaram a imposição de sanções a Teerã, que assistiu a protestos neste fim de semana após o governo local confirmar sua responsabilidade na queda de um avião ucraniano.

 

Últimas notícias