Sob forte segurança, Joe Biden toma posse nesta 4ª. Saiba detalhes da cerimônia

Últimos dias são de tensão nos Estados Unidos e temor por novos episódios violentos, como a invasão ao Capitólio, em 6 de janeiro

atualizado 20/01/2021 7:13

Jeenah Moon/Getty Images

Joe Biden toma posse, nesta quarta-feira (20/1), como 46º presidente dos Estados Unidos em cerimônia marcada por forte esquema de segurança, em função do temor por novos e violentos protestos antidemocráticos alimentados pelos seguidores do presidente que se despede, o republicano Donald Trump.

Eleito em 7 de novembro pelo povo norte-americano, o candidato do Partido Democrata viu a tensão crescer entre os rivais, que, agarrados a um discurso de que as eleições presidenciais dos EUA teriam sido fraudadas, têm promovido atos violentos, como a invasão ao Capitólio, em Washington (DC), em 6 de janeiro.

Não à toa, diante da tensão que ronda o momento atual do país, as autoridades norte-americanas e as forças de segurança preparam um esquema ainda mais rígido e repleto de protocolos de segurança e sanitários, uma vez que há também a preocupação com a disseminação do novo coronavírus.

Recentemente, autoridades sanitárias pediram aos apoiadores que pretendiam comparecer ao ato que acompanhassem a posse de casa, de forma virtual, para evitar aglomerações.

O país norte-americano é o mais impactado pela pandemia de Covid-19. São mais de 24 milhões de infectados pela doença e quase 400 mil mortos.

Segundo informações divulgadas pela Guarda Nacional, 25 mil soldados farão a segurança da cerimônia. Na capital do país, ruas inteiras foram fechadas. Grades, blocos de concreto e arame cercam a Casa Branca e o Capitólio. Os jornais norte-americanos falam em uma capital “sitiada”.

As autoridades já emitiram alertas sobre a possibilidade de ataques violentos para esta quarta-feira na região. O governo prepara mais de 200 mil faixas para homenagear quem não pode comparecer à cerimônia.

Quem também não irá comparecer ao ato é Trump, que se recusou quase até o fim a aceitar a derrota nas urnas, sob justificativa de que o processo eleitoral foi manchado por supostas fraudes nas contagens de voto. O anúncio do não comparecimento foi feito pelo próprio ex-mandatário pelo Twitter, dias antes de ser banido da plataforma

É a primeira vez, desde 1869, que um ex-presidente não comparece à cerimônia de posse do sucessor. A gestão republicana que deixa o poder será representada, no ato, pelo vice de Donald Trump, Mike Pence.

0
Programação

Joe Biden e sua vice-presidente, Kamala Harris, começam a cerimônia com um juramento no Capitólio dos Estados Unidos. Logo depois, seguem para a revisão de passagem, que simboliza a transferência pacífica do poder.

Em função da pandemia, o governo já anunciou que não irá realizar o tradicional desfile de tropas militares americanas. O hino nacional dos Estados Unidos será cantado por Lady Gaga e, na sequência, haverá um show da cantora Jennifer Lopez. Haverá transmissão em tempo real pelos canais de TV dos EUA, com apresentação do ator Tom Hanks.

Do Capitólio, Biden seguirá ao cemitério de Arlington, onde deixará no Túmulo do Soldado Desconhecido uma coroa de flores. Trata-se de um monumento para honrar soldados mortos em campos de batalha e em guerras que não tiveram os corpos identificados.

Do jazigo em homenagem aos combatentes, o presidente seguirá para a Casa Branca, de onde Biden anunciará suas primeiras medidas como novo presidente dos Estados Unidos.

O presidente eleito dos EUA ainda não anunciou todas as medidas que pretende tornar públicas durante sua cerimônia de posse. No entanto, já adiantou que reverterá vetos à imigração impostos pelo ex-presidente Donald Trump e que o país deve voltar ao Acordo de Paris.

 

Mais lidas
Últimas notícias