Bolívia: senadora Jeanine Áñez se declara presidente da República

O comunicado foi feito durante sessão para discutir sucessão de Evo Morales no Senado. Na ocasião, não houve quórum

ReproduçãoReprodução

atualizado 12/11/2019 21:34

Durante uma sessão para discutir a sucessão de Evo Morales na Presidência da Bolívia, a senadora Jeanine Áñez se declarou a nova chefe do Executivo federal. Na ocasião, não houve quórum para decidir a situação.

O comunicado foi feito pela parlamentar nesta terça-feira (12/11/2019). “Assumo de imediato a presidência e me comprometo a assumir todas as medidas necessárias para pacificar o país”, disse Jeanine no Senado.

Segunda vice-presidente da Casa, Jeanine Áñez decidiu se declarar presidente depois que, além de Evo Morales e seu vice, Álvaro García Linera, a presidente do Senado, Adriana Salvatierra, e o presidente da Câmara dos Deputados, Victor Borda, que seriam os próximos na linha de sucessão a Morales, também renunciaram, assim como o vice-presidente do Senado, Rubén Medinacelli.

Entenda
Evo Morales renunciou à Presidência da Bolívia no domingo (10/11/2019), após um relatório da Organização dos Estados Americanos (OEA) apontar que houve fraude nas eleições gerais realizadas em 20 de outubro.

Na ocasião, Evo Morales foi eleito em primeiro turno para um quarto mandato, mas denúncias de fraudes na votação aumentaram a tensão no país, além de constantes protestos violentos. Devido a essa situação, o presidente perdeu o apoio dos militares, que pediram a saída dele do cargo.

O ex-presidente estava no comando da Bolívia desde 2006. Ao visar às eleições deste ano, sua candidatura foi contestada. O argumento da oposição era de que a falta de limite de mandatos viola a garantia constitucional de que qualquer cidadão tem o direito de se candidatar.

Últimas notícias