COP-25: ONU indica alta de gases do efeito estufa no mundo

Segundo os pesquisadores, o dióxido de carbono (CO2) bateu um novo recorde de concentração em 2018, de 407,8 partes por milhão

iStockiStock

atualizado 25/11/2019 18:31

A concentração dos principais gases do efeito estufa na atmosfera alcançou um recorde em 2018, conforme anunciou nesta segunda-feira (25/11/2019) a Organização Meteorológica Mundial (OMM), ligada à Organização das Nações Unidas (ONU).

No mundo, segundo os pesquisadores, o dióxido de carbono (CO2) bateu um novo recorde de concentração em 2018, de 407,8 partes por milhão (ppm). Ou seja, nível 147% maior do que o pré-industrial de 1750.

A diminuição dos gases do efeito estufa é o compromisso do Brasil para a 25ª Conferência Internacional sobre Mudança Climática (COP-25).

A OMM destacou que o aumento anual da concentração de CO2, que persiste durante séculos na atmosfera e ainda mais tempo nos oceanos, foi superior à taxa de crescimento média dos últimos 10 anos.

A agência afirmou que “não há indícios de desaceleração visíveis” nas emissões dos gases, que são os principais causadores das mudanças climáticas. O documento não traz estatísticas por país.

“Cabe recordar que a última vez que a Terra registrou uma concentração de CO2 comparável foi entre 3 e 5 milhões de anos atrás. Na época, a temperatura era de 2 a 3°C mais quente e o nível do mar era entre 10 e 20 metros superior ao atual”, afirmou o secretário-geral OMM, Petteri Taalas, em comunicado.

O alerta foi divulgado uma semana antes do início da reunião anual da ONU sobre a luta contra a mudança climática, a COP-25, que ocorre de 2 a 13 de dezembro em Madri.

Os quatro maiores emissores de gases do efeito estufa – China, Estados Unidos, União Europeia e Índia – representam 56% das emissões globais. Apenas a UE (9% do total) está a caminho de cumprir, ou até superar, os objetivos.

Meta do Brasil
Na semana passada, o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, afirmou que o Brasil alcançará as metas. “Estamos indo bem na redução das emissões [de gases de efeitos estufa] e em todos os aspectos. O que não está indo bem é não receber os recursos prometidos lá de fora, que são essenciais”, ponderou.

O Brasil comprometeu-se a reduzir as emissões de gases de efeito estufa em 37% em relação aos níveis de 2005, com uma contribuição indicativa subsequente de reduzir as emissões de gases de efeito estufa em 43% abaixo dos níveis de 2005, em 2030.

O Acordo de Paris foi aprovado pelos 195 países para reduzir emissões de gases de efeito estufa. O compromisso ocorreu para frear o aumento da temperatura média global em até 2°C acima dos níveis pré-industriais.

Últimas notícias