Gay admite que inventou ataque homofóbico para esconder traição

Em resposta ao suposto caso de homofobia, até o primeiro-ministro espanhol, Pedro Sanchéz, se pronunciou contra a violência que afeta gays

atualizado 13/09/2021 17:44

Foto: Getty Images

O jovem que alegou ter tido as nádegas riscadas a faca com insulto homofóbico admitiu à polícia que mentiu para encobrir traição amorosa. Os cortes foram consensuais.

O caso do rapaz de 20 anos, que não teve nome revelado, mobilizou a Espanha e chegou a ter pronunciamento, pelo Twitter, do primeiro-ministro Pedro Sanchéz contra a violência que afeta gays.

O homem alegava que ao chegar em casa, em um bairro central de Madri, no domingo (5/9), teria sido abordado e rendido por oito homens encapuzados.

Eles o teriam xingado e escrito, com navalha, a palavra “bicha” em suas nádegas. Após insistência do namorado e de um amigo, o rapaz fez denúncia à polícia.

Mas os investigadores não conseguiram encontrar nenhum dado que corroborasse a história.

Leia mais em Guia Gay, parceiro do Metrópoles.

Últimas notícias