EUA vão descartar 60 milhões de doses de vacinas por contaminação

Fábrica misturou ingredientes da vacina AstraZeneca com doses da Johnson & Johnson. País planejava incluir unidades em doação

atualizado 11/06/2021 12:19

Vacina_Covid-19Lisa Ferdinando/Secretaria de Defesa dos EUA

A agência reguladora dos Estados Unidos, Food and Drug Administration (FDA, na sigla em inglês), determinou que 60 milhões de doses da vacina Johnson & Johnson sejam descartadas após suspeita de uma possível contaminação das doses. Segundo o New York Times, a agência autorizou que 10 milhões de unidades ainda fossem distribuídas pelo país ou para outros locais, desde que haja um alerta de que os fabricantes não podem garantir a qualidade das doses.

Em março, outras 15 milhões de vacinas produzidas na mesma fábrica, Emergent BioSolutions, tiveram de ser destruídas após uma contaminação entre imunizantes da AstraZeneca e da Johnson & Johnson.

No ano passado, o governo dos EUA pagou US$ 628 milhões para reservar a fábrica para produção de imunizantes contra a Covid-19. A decisão foi criticada, já que a Emergent BioSolutions tem um histórico de problemas. Até o momento, no entanto, não há informações se a FDA permitirá que a produção seja retomada no local, que já está fechado há dois meses.

0

De acordo com o NY Times, os funcionários acidentalmente misturaram ingredientes da Johnson & Johnson e da AstraZeneca/Oxford. Assim, a FDA determinou que a produção da AstraZeneca fosse interrompida no local.

O imunizante da Johnson & Johnson era considerado um dos mais importantes no plano de vacinação do governo dos EUA, uma vez que apenas uma dose é necessária. Porém, o país já tem um amplo estoque de vacinas da Pfizer e da Moderna, e não há mais necessidade de adquirir os imunizantes da Johnson & Johnson.

O plano era distribuir doses da AstraZeneca e da Johnson & Johnson para outros países, mas isso precisará ser atrasado até que a FDA analise as condições de produção da fábrica.

Últimas notícias