EUA: manifestantes invadem delegacia contra morte de George Floyd

Em meio às manifestações que pedem justiça após um segurança negro ser morto por um policial branco, um jornalista negro foi detido

atualizado 29/05/2020 9:35

JORDON STROWDER/ANADOLU AGENCY VIA GETTY IMAGES

A cidade de Minneapolis, nos Estados Unidos, virou um centro de protestos nessa quinta-feira (28/05), a terceira noite consecutiva de manifestações, que pedem justiça pela morte do segurança negro George Floyd, asfixiado por um policial branco durante uma abordagem.

Os manifestantes invadiram uma delegacia e incendiaram carros e imóveis. Lojas foram saqueadas. Um jornalista negro foi preso enquanto cobria as manifestações para a rede americana CNN.

Após o episódio, os manifestantes atearam fogo em diferentes pontos e entraram em confronto com a polícia na cidade onde ocorreu o caso.

O caso

George Floyd, 46 anos, foi morto na última segunda-feira (25/05) ao ser abordados por policiais. Vídeos que circularam nas redes sociais mostram a vítima ao chão, imobilizada por um agente, que pressionava com o joelho o pescoço dela contra o chão. George chegou a dizer que não conseguia respirar.

Os protestos que chamam a atenção contra o abuso da força policial nos Estados Unidos começaram de forma pacífica, mas tomaram contornos mais violentos nessa quarta. Houve registro de saques, incêndios e confrontos com a polícia em diferentes regiões.

A polícia reagiu às manifestações com balas de borracha e gás lacrimogêneo. Em Minneapolis, de acordo com a imprensa americana, um homem foi encontrado morto a tiros em uma área próxima aos conflitos.

Após a morte, a polícia americana informou que os policiais responsáveis pela morte foram identificados e demitidos. Os manifestantes, no entanto, pedem que eles sejam julgados e punidos pelo crime.

0

Últimas notícias