*
 

Um encontro histórico ocorreu às 22h05 (horário de Brasília), dessa segunda-feira (11/6), em Singapura. O aperto de mãos entre os presidentes dos Estados Unidos (EUA), Donald Trump, e o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, marcou a abertura da primeira reunião entre as nações, que foi costurada ao longo dos últimos três meses. Em território neutro – Singapura – a dupla tratará de possível entendimento relacionado ao fim do programa nuclear do país norte-coreano.

Após o aperto de mãos, Trump e Kim posaram para a imprensa do mundo inteiro com o objetivo de registrar o momento que marcará os livros de história. Na ocasião, o ditador norte-coreano disse a jornalistas: “Não foi fácil chegar a este encontro”. “O passado marcou nossas práticas. Mas, superamos os obstáculos para estarmos aqui”, destacou.

Na ocasião, o presidente dos EUA  afirmou “não tenho dúvidas de que eu e Kim teremos uma relação incrível”.

Em seguida, ambos adentraram o edifício para dar início às tratativas. A comitiva de Trump chegou ao Capella Hotel às 21h13 (horário de Brasília, 8h13 hora local). Minutos depois, Kim Jong-un também estava no ponto de encontro. Por último, desembarcou no local o próprio presidente norte-americano. A negociação ocorreu em conversa de cerca de 45 minutos.

Ao longo do dia, integrantes dos governos dos dois países mantiveram-se em reuniões, também em Singapura, para tentar promover avanços na agenda bilateral. Além da possível desnuclearização, Trump e Kim devem discutir outras pautas, como a relação diplomática entre os países e o regime de Pyongyang, capital do país norte-coreano.

Em contrapartida, os EUA possivelmente oferecerão alívio econômico ao país norte-coreano, que tem sido atingido por duras sanções.

O encontro dessa segunda (11) era tratado como prioridade pelas duas nações desde março. Além da cúpula dos dois países, as negociações envolveram também representantes da Coreia do Sul, que serviram de intermediários entre os dois líderes cujas personalidades são tidas como explosivas.

Twitter
Mais cedo, Trump postou em seu perfil oficial no Twitter que as reuniões entre representantes do país norte-americano e a Coreia do Norte estavam “indo bem e rápidas”. Ele também disse, no entanto, que “no final, isso não importa”. Pois, “em breve, saberemos se um acordo real pode acontecer ou não”.

 

(Com informações da Agência Estado)