Em pior surto de Covid desde 2020, China isola 41 milhões

País contabilizou 1.437 casos nesta segunda, e volta a adotar política de tolerância zero com isolamento rígido

atualizado 14/03/2022 21:05

equipe de desinfecção Qingdao ChinaCostfoto/Future Publishing via Getty Images

No pior surto de Covid desde 2020, a China registrou 1.437 novos casos nesta segunda-feira (14/3). Como o país continua a seguir uma rígida política “Covid zero”, começou a isolar regiões inteiras para evitar que o problema se agrave.

Cerca de 41 milhões de pessoas já entraram em regime de lockdown para paralisar os novos casos. Em Jilin, província com os maiores números, os 24 milhões de moradores foram proibidos de fazer viagens entre cidades, dentro ou fora da região.

No domingo (13/3), 3.939 infecções foram confirmadas no país em 24 horas. Cerca de 17 milhões de chineses foram isolados.

As informações são da Comissão Nacional de Saúde da China.

Em Xangai, escolas foram fechadas e habitantes estão confinados em casa. Ao todo, 19 províncias comunicaram transmissão local das variantes Ômicron e Delta.

Cidade mais populosa da China, Xangai teve todos os bairros isolados. Escolas agora adotam o ensino a distância e espaços culturais foram fechados.

Shenzhen, no sul, faz fronteira com Hong Kong, também em isolamento. O governo local anunciou restrições por sete dias, com transporte público interrompido. Apenas trabalhadores essenciais podem transitar.

Em comparação, os números chineses são muito mais baixos que os do Brasil – que nesta segunda computou mais 11.287 casos confirmados.

Mais lidas
Últimas notícias