Bolsonaro convida chineses para leilão: “Mar de oportunidades”

O presidente ressaltou o interesse brasileiro em receber investimentos da China, sobretudo na área de infraestrutura

Isac Nóbrega/PR

atualizado 25/10/2019 10:29

Enviada especial a Pequim (China) – O presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), convidou o mandatário chinês, Xi Jinping, para participar do leilão do pré-sal, que vai ocorrer em novembro deste ano no país, e disse que o Brasil é “um mar de oportunidades”.

“Podemos dizer que uma parte considerável do Brasil precisa da China, assim como a China precisa do Brasil. O Brasil é um mar de oportunidades e pretendemos agregar valor àquilo que produzimos. Aproveito para convidar a China para participar do leilão de óleo e gás”, afirmou.

Assim como tem falado durante encontros com autoridades e empresários chineses, Bolsonaro reforçou o interesse do Brasil em receber investimentos, sobretudo na área de infraestrutura. O chefe do Executivo ressaltou ainda a vontade de agregar valor a outros produtos brasileiros que não commodities.

Esse foi o terceiro encontro oficial feito por Bolsonaro às autoridades chinesas nesta sexta-feira (25/10/2019). Mais cedo, o presidente se reuniu com o primeiro-ministro da China, Li Keqiang. Na ocasião, o presidente ressaltou que o Brasil está abrindo a economia e, “cada vez mais, se tornando um país confiável nas questões econômicas.”

“Gostaria que a China participasse dos leilões do pré-sal. Isso demonstra que o Brasil está abrindo sua economia. (…) Não só o Brasil cresce, como seus parceiros econômicos”, destacou. Antes do encontro com o primeiro ministro, o presidente da República e a comitiva se reuniram com Li Zhanshu, presidente da Assembleia Popular Nacional da República Popular da China.

Na reunião, Bolsonaro afirmou desejo de ampliar e diversificar o mercado, sobretudo de segurança alimentar, setor importante para a China. Com isso, o presidente disse que o Brasil é “um grande celeiro” e chineses serão recebidos “de braços abertos”.

Os encontros ocorreram no Grande Salão do Povo, local usado pelo governo chinês para realizar cerimônias oficiais. O palácio fica localizado próximo à Praça da Paz Celestial, onde Bolsonaro fez uma homenagem aos heróis chineses, que faz parte do protocolo de uma visita de Estado.

Últimas notícias