Musa do cinema nas décadas de 1950 e 1960, a atriz e cantora norte-americana Doris Day morreu aos 97 anos. Vítima de pneumonia, ela estava em casa com amigos e familiares. A informação foi confirmada nesta segunda-feira (13/05/2019) pela Doris Day Animal Foundation – entidade de proteção do bem-estar animal criada pela artista.

Conhecida por atuações marcantes em filmes de comédia romântica, Doris ficou famosa por trabalhos como Ama-me ou Esquece-me (1955), Volta, Meu Amor (1961) e Confidências à Meia-Noite (1959), pelo qual foi indicada ao Oscar. Seu último trabalho foi um álbum de compilação em 2011.

Doris ficou mundialmente conhecida no cinema em 1956 pela atuação em O Homem que Sabia Demais, dirigido por Alfred Hitchcock. A interpretação da canção Que Será, Será é pano de fundo para a trama de espionagem.

 


Loira e sorridente, a atriz é considerada a namoradinha dos Estados Unidos. Entre os prêmios que ela recebeu, está uma homenagem em 1960, a Medalha Presidencial da Liberdade, em 2004, e uma conquista vitalícia do Grammy em 2008. Mesmo afastada da vida artística, Doris ainda era uma das principais referências de Hollywood.

Em 1976, lançou uma biografia chamada Doris Day: Sua Própria História. No livro, revelou detalhes dos problemas de dinheiro que teve, após três fins de casamento. Ela contou ter perdido cerca de US$ 20 milhões de sua fortuna. Em 1974, ganhou US$ 22,8 milhões em um processo contra seu ex-empresário e advogado.

A atriz atingiu o auge de sua popularidade em parcerias com Rock Hudson. Entre as curiosidades da vida pessoal, está o namoro com o ator e político Ronald Reagan, que foi presidente dos Estados Unidos.

A carreira de Doris Day em números:

67 anos
Tempo de carreira. Ela começou a vida artística aos 16 anos, em 1994, lançando o álbum Sentimental Journey. Seu último trabalho foi em 2011

200
Número de canções gravadas por Doris ao longo da carreira

40
Média de participações em filmes entre as décadas de 1950 e 1960