Alemanha retorna ao lockdown para evitar nova explosão de casos da Covid-19

Chanceler Angela Merkel anunciou o fechamento do comércio não essencial e das escolas a partir de quarta-feira (16/12)

atualizado 13/12/2020 11:33

Angela MerkelMoritz Hager/World Economic Forum

Depois do lockdown parcial adotado há seis semanas, a Alemanha terá, a partir de quarta-feira (16/12), um segundo fechamento do comércio não essencial e das escolas. A decisão veio neste domingo (13/12), após reunião da chanceler Angela Merkel com os governadores dos 16 estados do país.

As novas restrições, como aquelas de março e abril, no início da pandemia do novo coronavírus, afetam diretamente a economia alemã. Nem mesmo a venda de fogos de artifício será permitida. A ordem vale pelo menos até 10 de janeiro.

Para evitar uma segunda onda de contágio pelo novo coronavírus na Alemanha, o país havia fechado restaurantes, bares, academias e estabelecimentos de lazer no início de novembro. Entretanto, escolas, lojas e salões de cabeleireiro continuaram abertos. As informações são do site DW Brasil.

0

O intuito é tentar evitar outra explosão de infecções e mortes. Os dados mais recentes mostram 28.438 novas contaminações e 496 óbitos decorrentes da Covid-19 nas últimas 24 horas. É bem próximo do recorde atingido na sexta-feira (11/12), segundo o Instituto Robert Koch (RKI), agência que cuida do controle e prevenção de doenças infecciosas.

Na sexta, o país teve 29.875 novas infecções e 598 mortes em 24 horas, os maiores registros desde o início da pandemia. Em números gerais, a Alemanha computou até agora 1.300.516 contaminações pelo novo coronavírus (1,5% da população) e 21.466 óbitos.

Últimas notícias