Em dois meses, Brasil concluirá estudos sobre o B11, diz ministro

O governo federal pretende concluir em dois meses os testes para adição de 11% de biodiesel (o chamado B11) no óleo diesel comum. A medida deve gerar uma economia de quase R$ 1,3 bilhão ao ano sobre os custos de importação de litros de óleo diesel, conforme o ministro das Minas e Energia, Bento Albuquerque, […]

atualizado 23/05/2019 22:21

O governo federal pretende concluir em dois meses os testes para adição de 11% de biodiesel (o chamado B11) no óleo diesel comum. A medida deve gerar uma economia de quase R$ 1,3 bilhão ao ano sobre os custos de importação de litros de óleo diesel, conforme o ministro das Minas e Energia, Bento Albuquerque, explicou aos integrantes da Frente Parlamentar Mista do Biodiesel. O novo colegiado do Congresso Nacional foi lançado nessa quarta-feira (22/03/2014).

Os estudos sobre o B11 são executados pelo Instituto Nacional de Tecnologia (INT) e serão testados pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). “A solução para o B11 foi um trabalho de articulação e diálogo do Ministério de Minas e Energia com as entidades e associações representativas da indústria automobilística, do setor de biodiesel e da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP)”, declarou o ministro. “A entrada em vigor da mistura B11 deve induzir investimentos em ampliação da capacidade de produção de biodiesel e processamento de soja de mais de R$ 700 milhões de reais”, completou.

A partir da conclusão dos testes a ANP revisará a especificação do biodiesel, para aumentar o requisito de “estabilidade à oxidação” do produto, de oito para 12 horas, com o objetivo de atingir no mínimo 20 horas de estabilidade na mistura com o diesel e, assim, aumentar a vida útil do combustível em todas as etapas de comercialização”, explicou Bento Albuquerque.

Ele lembrou que o Brasil é o segundo maior produtor mundial de biodiesel e produziu 5,3% bilhões de litros no ano passado – um aumento de 25% em apenas um ano. Mas “a capacidade de produção precisará aumentar em praticamente 50% em 5 anos. São cerca de R$ 8 bilhões de investimentos em novas usinas de biodiesel e expansão do processamento de óleos vegetais no Brasil”, disse o ministro. Segundo Bento Albuquerque, a sobra vai aumentar a produção brasileira de proteína vegetal e animal, com mais oferta de alimentos para a população.

Últimas notícias