Garçom que serviu Bolsonaro está com suspeita de coronavírus

Franklin Oliveira foi um dos responsáveis por atender Bolsonaro e um grupo de pastores evangélicos em uma churrascaria brasileira

atualizado 12/03/2020 20:01

Arquivo Pessoal

Enviado especial a Miami (EUA) – O garçom brasileiro Franklin Oliveira, que atendeu o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em um almoço com pastores evangélicos em uma churrascaria de Miami, está com suspeita de ter contraído o coronavírus.

Nesta quinta-feira (12/03), ele foi ao hospital Jackson Memorial depois de ter sentido sintomas da doença por dois dias. Ele relata estar com tosse seca – um dos principais sintomas da doença – e dores físicas.

O garçom brasileiro Franklin Oliveira serviu a mesa do presidente Jair Bolsonaro em Miami. Ele está com suspeita de coronavírus

“O consulado orientou o restaurante que quem sentir qualquer coisa deve procurar o hospital pra fazer exames. E eu estou com dor de garganta tem 2 dias. Achei melhor vir por precaução”, relatou.

Ele ainda espera o resultado dos exames.

Ainda nesta quinta-feira, o secretário de Comunicação da Presidência, Fabio Wajngarten, testou positivo para a doença, que já virou pandemia. O próprio presidente Jair Bolsonaro, depois de ter chamado a doença de “fantasia”, foi testado e está sendo monitorado.

Bolsonaro cumpriu agenda de quatro dias em Miami, onde encontrou apoiadores e teve reuniões com possíveis investidores. O próprio presidente fez teste para saber se foi infectado e fará pronunciamento à Nação na noite desta quinta-feira.

Franklin vive nos Estados Unidos há quatro anos e trabalha em uma churrascaria, que trabalha com pratos brasileiros.

Últimas notícias