Fuego abre as portas em janeiro sob comando do chef argentino Pepe Sotelo

Chef deixou o premiado Don Julio, em Buenos Aires, para assumir a parrilla da nova casa brasiliense

atualizado 03/01/2021 10:15

Chef Pepe SoteloFoto: Jacqueline Lisboa/Especial Metrópoles

Bienvenido a Brasília, “Pepe” Sotelo. O chef argentino desembarcou na capital em 19 de outubro para assumir a parrilla do Fuego Alma & Vino, a nova casa de assados da cidade, com previsão de abertura para janeiro de 2021. Em um encontro com o Metrópoles, ele compartilhou detalhes sobre a atual fase, em meio ao Cerrado.

Reconhecido como um dos maiores assadores do mundo, o chef comandou por 21 anos a parrilla do Don Julio, eleito o melhor restaurante da América Latina pelo 50 Best no início de dezembro. A casa, de onde saiu em março, figurou no TOP 50 nos últimos cinco anos. E foi nesse local que o empresário Tiago Boita encontrou a peça que faltava para seu novo empreendimento com os restaurateurs Antonio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, e Leandro Pompeo. Os três também dividem a sociedade do ‘A Mano, junto com André Sampaio.

“Para a gente é um privilégio enorme ter o Pepe conosco. Foi algo até emocionante. No dia que o Pepe desembarcou de forma definitiva em Brasília, eu me emocionei”, lembra Boita. 

“Antes de empresários, somos amantes da culinária, frequentadores de restaurantes. Nós conhecemos o que é o Don Julio. Sabemos quem é o Pepe. Fomos buscar o Pepe porque achamos que ele é o melhor na área. Se vamos fazer uma casa de carnes, por que não fazer uma coisa que pode ser a melhor do mundo? E o Pepe é o diferencial disso”, pontua Kakay. 

No menu

A Pamplona será uma das apostas de Sotelo para o cardápio. O prato é original do Uruguai, mas também faz sucesso na Argentina. Em Brasília, o Fuego será a primeira casa a oferecer o produto, segundo os sócios. O preparo é feito com carnes de boi, frango ou porco. Elas são recheadas com ingredientes (secretos) selecionados pelo chef e envoltas em omento de boi, uma espécie de teia que envolve os órgãos desses animais. Visualmente, a iguaria se assemelha a um rocambole salgado.

No menu, ganharão destaque outras receitas exclusivas do chef argentino, como chorizos (como são conhecidas as linguiças no país natal de Pepe) e empanadas. “Serão três tipos de chorizos: serrano, parrillero e longaniza fresca”, explica.

Outro corte que promete fazer sucesso no Fuego é o preferido de Pepe Sotelo, o bife de chorizo ancho. “Eu gosto da textura e da gordura entremeada. Quando se cozinha essa carne, essa gordura intensifica o sabor”, relata o assador, último de sete filhos, que começou a carreira aos 21 anos, em uma pizzaria.

O cardápio da casa também terá bife ancho importado de um frigorífico da Argentina. A carne é uma velha conhecida do chef, que já trabalhava com o corte no Don Julio. São proteínas de animais das raças Hereford e Angus, criados no pasto e abatidos com cerca de quatro anos e, aproximadamente, 400kg.

Tiago Boita adianta que o menu terá também receitas de sucesso dos antigos restaurantes Corrientes 348 e Otro Parrilla. Na lista estão as clássicas saladas Mariana e Juliana, e o papatasso. Ambas são indicadas por Sotelo como ótimos acompanhamentos para carnes. “Na Argentina comer carnes com saladas e batatas é muito cultural, porque elas exaltam o sabor da carne”, ensina.

0
E nasce o Fuego

Leandro Pompeo ressalta que eles querem ir além das casas de assados tradicionais. “Nosso desejo é elevar o nível da cozinha na cidade.” Para isso, eles apostam em um espaço moderno e aconchegante assinado pela arquiteta Gabriela Gontijo, do Studio Gontijo, na 112 Sul. Mas a modernidade vai muito além do projeto arquitetônico, e deve aparecer também no cardápio. O Fuego vai trabalhar com foco na cozinha argentina, mas leva um pouco da culinária italiana para lá. 

“A ideia é que grande parte do nosso cardápio saia da parrilla, da brasa, do fogo. Mas queremos algo diferente do que tem sido feito nos restaurantes que trabalham com parrilla na capital. Vai ser uma cozinha argentina, mas com um toque italiano. Teremos massas frescas e risotos como acompanhamentos, por exemplo”, explica Tiago Boita. 

Assim como no restaurante italiano do qual são sócios, o ‘A Mano, eles vão apostar nos vinhos como principal harmonizador com as carnes. Mas também vão oferecer uma extensa carta de drinques concentrada em opções clássicas e queridas pela clientela. 

0
Futuro

O Fuego ainda não abriu as portas, mas tem planos a longo prazo. Uma das propostas da casa é ter uma salumeria. No local será vendida uma linha de embutidos artesanais assinados pelo chef Pepe Sotelo, como os chorizos que farão parte do cardápio. Outra ideia é ter uma horta própria, com legumes e verduras que serão utilizados nos preparos da cozinha.

Os sócios explicam que vão trabalhar e ver a aceitação da casa de carnes, mas que começam com muita confiança no que vão entregar ao público. E depois querem expandir. “Antes de abrir em Paris, vamos abrir aqui”, brinca Kakay, sobre a aventura de se lançar em outras cidades.

Kakay, Tiago Boita e Leandro Pompeo são os sócios a frente do Fuego Alma & Vino

Mais lidas
Últimas notícias