*

O elefante rosa, no mundo cervejeiro, é um símbolo de qualidade: isso porque o animal é a logomarca de uma dos rótulos mais celebrados do planeta. A Delirium é bastante conhecida dos apreciadores da boa bebida, porém, por se tratar de label belga, achá-la a bom preço na capital era tarefa difícil. Agora, a coisa muda de figura, pois há três semanas abriu o Delirium Café Brasília, na 405 Sul.

Ter um gastrobar da label é uma exclusividade. Ao redor do mundo, são 15 – no Brasil, apenas São Paulo e Rio de Janeiro contavam com o espaço. Administrado pelos empresários Delmir Batista e Gabriel Rocha, o estabelecimento brasiliense está movimentando a cena local. “A marca é muito forte, estamos notando um grande envolvimento do público”, conta Gabriel.

Vinícius Santa Rosa/Metrópoles

Gabriel Rocha e Delmir Batista: sócios à frente da Delirium Café Brasília

Professor de gastronomia, com especialização em bebidas, do Instituto Federal de Brasília (IFB), Gabriel alimentava o sonho de uma casa de cervejas especiais há 5 anos. Encontrou no sócio Delmir um parceiro para o projeto. Durante 5 meses, prospectaram a marca belga, reformaram a loja e se aventuraram no desafio. “Às vezes, chego a dormir aqui no escritório”, lembra Delmir.

Funcionando em soft opening, a casa oferece 20 torneiras de chopes: com rótulos importados, nacionais e brasilienses. Mesmo com grande diversidade, o principal atrativo é a bebida belga. No centro do balcão, uma tap possui o elefante rosa, dela saem as opções Tremens (Belgian Golden Strong Ale), Nocturnum (Belgian Strong Dark Ale), Red (Strong Fruit Beer) e Argentum (Belgian IPA).

Além das versões em chope (330ml – R$ 30 e 230ml – R$ 24), a casa também comercializa as garrafas do rótulo, em opções de 330ml ou 750ml. Nas torneiras, também estão engatados barris de cervejas europeias de alta qualidade, como a Chimay e La Guillotine – dois dos melhores exemplos da escola belga.

“Na nossa opinião, as cervejas belgas são as melhores do mundo”, conta Gabriel. Ele, o sócio e a equipe de salão estão fazendo o curso de sommelier pelo Instituto da Cerveja Brasil (ICB). “Temos foco muito grande no atendimento”, completa.

 

Entre as garrafas, a casa oferece mais de 50 rótulos belgas – o número chega a 80 quando se coloca as opções de outros países. Há desde opções trapistas – feitas por monges europeus –, como a Chimay, a Trappist Rochefort, St. Bernardus e Orval, como bebidas alemãs e nacionais.

A partir de junho, a rede Delirium vai passar a oferecer chopes sazonais que serão servidos exclusivamente nas 15 casas que existem ao redor do mundo.

Cardápio
A Delirium Café Brasília tem capacidade total de 180 pessoas. Porém, os donos sabem que, além da cerveja de qualidade, o público procura comida. Por isso, o cardápio oferece entradas, como o bolinho de feijoada (2 unidade – R$ 20), e petiscos, com destaque para a linguiça com pimenta biquinho (R$ 40). Há também pratos servidos com molho de cerveja, como o baby beef fatiado com fritas (R$ 52) e as lâminas de filé-mignon acebolado com azeitonas (R$ 52).

Sabendo da combinação que tem feito sucesso na cidade, a casa oferece hambúrgueres. Tem o D.C. Burguer (220g de carne angus, queijo, bacon crocante, cebola carameliza, palha de alho-poró e maionese biquinho – R$ 45) e o Classic (180g de carne angus, queijo, alface, tomate, cebola-roxa e catchup picante – R$ 39).

Quem quiser fugir das taps, há opções de drinques clássicos, como a caipirinha (R$ 20), Aperol Spritz (R$ 33), Gim Tônica (R$ 26) e Sex On The Beach (R$ 27).

Café Delirium Brasília
Na 405 Sul, Bloco B, Loja 30. (61) 3526-6423. Diariamente, das 16h à 0h