Festival de Brasília 2018: 10 fatos que marcaram a 51ª edição

Representatividade feminina, protagonismo negro, diversidade de gênero e protestos políticos deram a tônica de um evento pulsante

Filipe Cardoso/Especial para o MetrópolesFilipe Cardoso/Especial para o Metrópoles

atualizado 24/09/2018 16:46

O 51º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro terminou na noite de domingo (23/9), após longa cerimônia de premiação que consagrou Temporada (MG), de André Novais Oliveira, vencedor de cinco Candangos, incluindo melhor filme.

A edição 2018 teve a diversidade de gêneros, corpos e regiões brasileiras como marca principal. Sobretudo em relação à expressiva e histórica participação feminina. Dos 21 filmes da mostra competitiva (9 longas e 12 curtas), 13 tinham mulheres como diretoras ou correalizadoras.

Com uma das seleções mais fortes dos últimos anos, o evento navegou por temas de vulto (feminismo, identidade negra, questões LGBTQ+, imigração, greve dos caminhoneiros) e, mais uma vez, revelou um intenso engajamento de cineastas e plateia em protestos políticos.

Confira 10 fatos que marcaram o 51º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro:

Últimas notícias