Talibã autoriza homens a praticarem esportes, mas mulheres estão proibidas

O direito não foi estendido às mulheres do país para realizar qualquer atividade esportiva em público

atualizado 15/09/2021 16:20

Mulher afegã boxeMarcus Yam / Los Angeles Times via Getty Images

Do futebol à natação, passando pelo atletismo e hipismo. Em Cabul, o novo diretor de esportes do Talibã, Bashir Ahmad Rustamzai, anunciou nesta quarta-feira (15/9) que todos os homens do Afeganistão estão autorizados a praticar “até 400 esportes”. No entanto, o direito ainda não foi estendido às mulheres do país para realizar qualquer atividade esportiva em público.

Segundo Rustamzai, a única exigência é que todos os esportes “sejam praticados de acordo com a lei islâmica”, o que representa poucos problemas para os homens. Para cumprir com a sharia — conjunto de leis islâmicas baseadas no Alcorão —, eles precisam apenas cobrir os joelhos. Isso vale para todos os esportes, incluindo o futebol.

Governos do ocidente esperam uma mudança por parte do grupo em relação ao assunto. Algumas declarações, porém, geram sérias dúvidas. Há uma semana, o funcionário talibã Ahmadullah Wasiq disse ao jornal australiano SBS que o governo não deve permitir que as mulheres joguem críquete, se estiverem expostas ao público.

“É possível que enfrentem uma situação em que seu rosto e corpo não estejam cobertos. O Islã não permite que as mulheres sejam vistas assim”, destacou.

Depois das declarações de Ahmadullah Wasiq, a Austrália ameaçou cancelar a primeira partida histórica masculina entre os dois países, programada para ser disputada em novembro, em Hobart. Nesta quarta-feira, cerca de 100 jogadoras afegãs de futebol feminino conseguiram deixar o país e embarcaram rumo ao vizinho Paquistão.

Quer ficar por dentro de tudo que rola no mundo dos esportes e receber as notícias direto no seu Telegram? Entre no canal do Metrópoles.

Mais lidas
Vídeos
Últimas notícias