Mulheres afegãs são proibidas de praticar esportes no Talibã, diz jornal

"Não acho que as mulheres serão autorizadas a jogar críquete porque não é necessário que mulheres joguem críquete", disse vice-diretor

atualizado 08/09/2021 10:12

Mulheres afegãs esportesStan Grossfeld/The Boston Globe via Getty Images

O vice-diretor da comissão cultural do Talibã concedeu entrevista à rede australiana SBS, reproduzida pelo jornal britânico The Guardian, na qual comentou a prática do críquete pelas mulheres e indicou que elas serão proibidas de jogar o esporte.

“Não acho que as mulheres serão autorizadas a jogar críquete porque não é necessário que mulheres joguem críquete. No críquete elas estarão em uma situação onde seus rostos e corpos não estarão cobertos. O Islã não permite que as mulheres sejam vistas assim”, disse Ahmadulla Wasiq.

“Esta é a era da mídia, e haverá fotos e vídeos, e as pessoas irão assistir. O Islã e o Emirado Islâmico (como os talibãs rebatizaram o Agefanistão) não vão permitir que as mulheres joguem críquete ou qualquer esporte em que sejam expostas”, afirmou.

Essas falas ressaltaram a posição radical do grupo e a exclusão dos direitos das mulheres, apesar de algumas tentativas de dizer o contrário.

A federação afegã de críquete disse ao The Guardian que não foi comunicada oficialmente deste posicionamento, mas o programa de formação para meninas já foi suspenso. Informações indicam que há atletas escondidas, querendo fugir do país, com medo da repressão.

Quer ficar por dentro de tudo que rola no mundo dos esportes e receber as notícias direto no seu Telegram? Entre no canal do Metrópoles.

Mais lidas
Vídeos
Últimas notícias