LeBron rebate Ibrahimovic sobre ativismo: “Nunca ficarei calado”

O experiente atacante sueco criticou o astro da NBA e outros atletas engajados em causas sociais em entrevista na última quinta-feira

atualizado 27/02/2021 12:27

LeBron James e Zlatan Ibrahimovic batem boca por ativismoMike Ehrmann/Getty Images e Jonathan Moscrop/Getty Images

LeBron James respondeu às críticas de Zlatan Ibrahimovic sobre seu ativismo político e prometeu que nunca irá se calar. O astro do Los Angeles Lakers destacou que irá continuar sua luta contra o racismo e por justiça social, além de se manter engajado politicamente.

O atacante sueco criticou LeBron e outros atletas engajados em causas sociais na última quinta-feira em uma entrevista para o Discovery Plus. Ele opinou que é um “erro” se envolver em questões políticas e que, na opinião dele, os jogadores têm que se concentrar apenas nos esportes.

Após liderar os Lakers na vitória por 102 x 93 sobre o Portland Trail Blazer em Los Angeles, o astro do basquete respondeu vigorosamente ao comentário de Ibrahimovic. “Eu nunca iria calar a boca sobre as coisas que estão erradas”, garantiu o veterano.

“Eu prego sobre meu povo e prego sobre igualdade, justiça social, racismo, repressão eleitoral. Vou usar minha plataforma para continuar a lançar luz sobre tudo o que está acontecendo neste país e ao redor do mundo. De jeito nenhum eu iria me limitar aos esportes, porque eu entendo o quão poderosa esta plataforma e minha voz são”, destacou.

LeBron financia a I Promise School em sua terra natal, Akron, Ohio. Um dos maiores jogadores da história da NBA, ele também apoia inúmeras iniciativas em busca da justiça social, direito de voto e outras causas progressistas. “Eu sei o que está acontecendo porque eu tenho um grupo de mais de 300 crianças na minha escola que estão passando pela mesma coisa e precisam uma voz, e eu sou a voz deles”, reforçou o americano.

Subiu o tom

A estrela dos Lakers também mencionou comentários feitos por Ibrahimovic em 2018, quando o atacante sueco afirmou que “racismo disfarçado” levou a imprensa a dar um tratamento diferente em relação a jogadores que tinham sobrenomes tradicionais como Andersson ou Svensson. Nascido na Suécia, ele é filho de pai bósnio e mãe croata.

“Ele é o cara que na Suécia falava sobre as mesmas coisas, porque seu sobrenome não era um sobrenome (sueco tradicional), ele sentiu que havia algum racismo acontecendo quando ele jogava”, lembrou Lebron. “Eu sou o tipo cara errado para bater de frente porque eu faço minha lição de casa”, acrescentou.

Vídeos
Últimas notícias