*
 

No jogo entre dois países que estão na lista dos mais ricos e desenvolvidos do mundo, a Suécia abriu o placar apenas na metade do segundo tempo, mas se fechou na defesa e garantiu a vitória sobre a Suíça, nesta terça-feira (3/7), na Arena Zenit, em São Petersburgo. O gol foi daquele jeito, bem ao estilo de duas forças médias da Europa. Forsberg, camisa 10 da seleção escandinava, soltou a bomba de pé direito. A bola desviou em Akanji e entrou, sem chances para o goleiro Sommer.

A Suécia agora enfrentará no próximo sábado (7), às 11h, em Samara, o vencedor do duelo entre Colômbia e Inglaterra, que jogam ainda nesta terça-feira, às 15h, em Moscou. A Suíça deixa o Mundial depois de complicar a vida da Seleção Brasileira na primeira fase – a partida, recheada de polêmica, terminou empatada em 1 X 1.

Os suecos seguem vivos e como grandes surpresas. Surpresa, por sinal, que vem desde as Eliminatórias Europeias, quando deixaram a Holanda pelo caminho na fase de grupos e mandaram a Itália embora na repescagem. O melhor resultado em Mundiais até hoje foi em 1958, quando, em casa, perderam na decisão por 5 x 2 para o Brasil de Pelé e Garrincha.

 

 

E o futebol demorou a entrar em campo no jogo de São Petersburgo. Os suecos começaram melhor, com algumas chances perdidas nos primeiros 10 minutos da etapa inicial, principalmente com o atacante Marcus Berg. Aos 27 minutos, em ótimo chute de dentro da área, Berg quase marcou. Só não o fez por causa da bela defesa do goleiro suíço Yann Sommer. O atacante está entre os 10 maiores finalizadores desta Copa do Mundo, com 13 chutes até o momento. É o único que ainda não conseguiu o tento.

Em 98 anos, Suécia e Suíça se enfrentaram 28 vezes. São, agora, 11 vitórias para os nórdicos contra 10 dos famosos fabricantes de relógios e chocolates, além de oito empates. Apesar de ser um confronto corriqueiro, a última vez em que estiveram frente a frente foi em março de 2002, quando empataram por 1 x 1. Mesmo com o grande número de jogos, nenhum deles foi em Mundial.

A atual equipe é de igual modo forte fisicamente e explora bem as bolas aéreas. Ficou na primeira posição do Grupo F, com seis pontos – vitória sobre Coreia do Sul (1 x 0) e México (3 x 0) e derrota para a Alemanha (2 x 1).

A Suíça, por sua vez, foi para o jogo com o objetivo de voltar às quartas de final de Copa do Mundo após 64 anos. Não conseguiu. A última vez em que alcançou essa fase foi em 1954, quando sediaram o Mundial e terminaram na quarta posição. (Com informações da Agência Estado)

FICHA TÉCNICA

Suécia 1 x 0 Suíça

Suécia
Olsen; Lustig (Krafth), Lindelof, Granqvist e Augustinsson; Svensson, Ekdal, Claesson e Forsberg (Olsson); Berg (Thelin) e Toivonen
Técnico: Janne Andersson

Suíça
Sommer; Lang, Djourou, Akanji e Rodríguez; Behrami, Shaka, Shaqiri, Dzemaili (Seferovic), Zuber (Embolo) e Drmic
Técnico: Vladimir Petkovic

Árbitro: Damir Skomina (Fifa/Eslovênia)

Horário: 11h

Local: Arena Zenit, em São Petersburgo (Rússia)

Gol: Forsberg, aos 20 minutos do segundo tempo

Cartões amarelos: Lustig (Suécia); Behrami e Xhaka (Suíça)

Cartão vermelho: Lang (Suíça)

Público: Não disponível

Local: Arena São Petersburgo, em São Petersburgo