*
 

A imprensa inglesa identificou uma mudança no comportamento da equipe na classificação diante da Colômbia, terça-feira (3/7), em Moscou. O jornal “The Times” usou a manchete “A Inglaterra aprendeu a ser malandra” para descrever a atuação do time inglês na vitória sobre os colombianos nos pênaltis por 4 x 3 para enfrentar a Suécia nas quartas de final.

Embora tenham criticado o atacante Neymar por simulações de faltas, os ingleses usaram o mesmo artifício. Em alguns lances, os ingleses tentaram cavar infrações. No tempo normal, quando venciam por 1 x 0, os ingleses fizeram “cera” antes da cobrança de algumas faltas.

“Talvez estejamos ficando um pouco mais espertos e jogando de acordo com as regras que o resto do mundo está jogando”, disse o técnico Gareth Southgate na entrevista coletiva após a vitória em Moscou.

O fato foi condenado pelo técnico da Colômbia, Jose Pékerman. “Foi incômodo jogar uma partida em que se tinha no ar a sensação de que o árbitro ia apitar alguma coisa. Alguma coisa está acontecendo no futebol. Tem muita confusão. Se cai por cair. Se empurram, é porque buscam o toque. Me parece que hoje estamos todos confundindo esse tipo de jogada. Vimos muito isso no Mundial. São determinantes. É uma situação difícil”, afirmou.

Esperteza
Os ingleses foram espertos também na cobrança de pênaltis. Em bilhete grudado na garrafa de água, o goleiro Pickford recebeu informações sobre as preferências dos colombianos na hora das batidas. Ele acertou os cantos das cobranças de Cuadrado, Uribe (no travessão) e defendeu o chute de Bacca.

Com a vitória, os ingleses encerraram um longo jejum na disputa de penalidades. Até a decisão de terça-feira, haviam sido três disputas de pênalti em Copas do Mundo. Os ingleses tinham perdido todas: 1990, 1998 e 2006. Em 2018, o time conseguiu avançar às quartas de final e leva certo favoritismo diante da Suécia. (Com informações da Agência Estado)