Em casa, Atlético-MG empata com a Chapecoense e sai do G-4 do Brasileirão

Com o resultado, o Atlético Mineiro ficou em quinto, com 10 pontos, contra 12 do líder Athletico

atualizado 21/06/2021 23:04

O Atlético Mineiro perdeu boa oportunidade de se aproximar dos primeiros colocados do Brasileirão. Na noite desta segunda-feira (21/6), no encerramento da quinta rodada, o time alvinegro cedeu o empate para a Chapecoense por 1 x 1, no Mineirão, e ficou fora do G-4, em jogo em que o atacante Hulk passou em branco.

Com o resultado, o Atlético Mineiro ficou em quinto, com 10 pontos, contra 12 do líder Athletico. A Chapecoense, por outro lado, deixou a zona de rebaixamento e fechou a rodada em 16º, com três. No entanto, o time catarinense seguiu sem vencer o adversário no Mineirão. Na história, são três jogos no estádio, com dois revés e um empate.

Antes da bola rolar, o Atlético divulgou novas baixas por covid-19. São cinco jogadores, dentre eles o grande destaque da equipe, o argentino Nacho Fernández, além do zagueiro Igor Rabello, que testou negativo, mas apresentou sintomas gripais e, por isso, acabou sendo poupado do embate. Mesmo assim, Cuca montou um time competitivo. A equipe mineira comandou a partida, mas também sofreu para conter os avanços da Chapecoense.

Sem Nacho, coube a Hulk liderar a equipe. O atacante atleticano foi muito bem marcado, mas conseguiu se desvencilhar dos zagueiros para deixar Hyoran em boa condição de arrematar. O meia mandou por cima. O papel se inverteu logo depois. Desta vez, o camisa 7 recebeu dentro da área e cabeceou no travessão.

O gol saiu aos 24 minutos. Após boa jogada de Hyoran, Tchê Tchê chegou batendo, como elemento surpresa dentro da área, para fazer 1 x 0. A Chapecoense não se intimidou, nem com os “poderes” do xará do personagem da Marvel. Ravanelli perdeu uma chance inacreditável. Com o gol livre, chutou em cima do próprio companheiro de equipe, Anselmo Ramon. A bola chegou a entrar, mas o árbitro assinalou impedimento. Éverson também teve que trabalhar para impedir a igualdade.

O panorama do segundo tempo não mudou. Era Hulk de um lado, Hulk do outro e João Paulo se virando como podia para impedir o camisa 7 de deixar o seu. Se com a bola, o atacante chamou a responsabilidade, sem ela, o time mineiro recuava por completo, chamando a Chapecoense para o seu campo defensivo.

Keno começou a ser muito acionado e chegou a desperdiçar uma grande oportunidade de marcar. O atacante, no entanto, sofreu uma torção de tornozelo e acabou deixando o jogo. Do banco de reservas, ficou desolado, talvez com a lesão, talvez com a atuação, mas o jogador foi aos prantos.

Logo depois, o VAR foi chamado e o árbitro assinalou pênalti de Allan em Fernandinho. Ravanelli bateu com perfeição e deixou tudo igual, jogando um “balde de água fria” nos atleticanos, que esboçaram uma reação no fim, mas não conseguiram evitar o tropeço em pleno o Mineirão.

Na próxima rodada, o Atlético enfrenta o Ceará na quinta-feira, às 19h, na Arena Castelão, em Fortaleza (CE). No mesmo dia e horário, a Chapecoense recebe o Inter, na Arena Condá, em Chapecó (SC).

Ficha técnica
Atlético-MG 1 x 1 Chapecoense
Atlético-MG: Everson; Guga (Mariano), Gabriel, Réver e Guilherme Arana; Allan, Tchê Tchê (Calebe), Jair (Zaracho) e Hyoran (Echaporã); Keno (Eduardo Sasha) e Hulk. Técnico: Cuca
Chapecoense: João Paulo; Matheus Ribeiro, Felipe Santana, Ignácio e Derlan; Anderson Leite, Guedes (Bruno Silva), Ravanelli, Lima e Fernandinho (Ezequiel); Anselmo Ramon (Perotti). Técnico: Jair Ventura.
Gols: Tchê Tchê, aos 24 minutos do primeiro tempo. Ravanelli, aos 34 minutos do segundo tempo.
Árbitro: Rodolpho Toski Marques (PR)
Cartões amarelos: Hulk (Altlético-MG); Ignacio (Chapecoense)
Local: Estádio do Mineirão, em Belo Horizonte (MG).

Vídeos
Últimas notícias