Dirigente diz: jogadora perdoou assédio de mascote do Atlético-MG

"O funcionário é um dos mais queridos dentro do Atlético, senão o mais querido, passivo de erro", afirmou Nina de Abreu

Reprodução/Twitter

atualizado 19/02/2020 15:55

Nina de Abreu, coordenadora de futebol feminino do Atlético-MG, participou do programa Seleção SporTV desta quarta-feira (19/02/2020), e falou sobre o fato ocorrido no último domingo (16/02/2020) — o assédio do mascote do Galo com a zagueira Vitoria Calhau. “Foi uma infelicidade pontual do nosso funcionário.”

“Vale ressaltar que é uma unanimidade na casa, o funcionário é um dos mais queridos dentro do Atlético, senão o mais querido, passivo de erro; que admitiu o erro e foi perdoado pela jogadora”, afirmou.

O Atlético repudiou o episódio em post no Twitter e contou ter “sumariamente afastado” o homem. Vitoria deu a seguinte declaração, ao ESPN:

“Quando aconteceu o ato eu não me senti ofendida, porque pra mim ele me virou pra ver o meu número (da camisa) (…). Depois, quando começaram a chegar vários vídeos, várias pessoas falando, pessoas próximas a mim, familiares e amigos… Aí que eu vi que tiveram segundas intenções. Eu me senti um objeto. Um objeto sexual. Eu não estava ali por brincadeira. Eu estava ali pela minha profissão.”

Vídeos
Últimas notícias