A base vem como? Jovens elevam patamar de Palmeiras e Santos na temporada

Rivais paulistas decidirão a Libertadores e garotos da base tiveram papel fundamental na ascensão dos dois times em 2020

atualizado 16/01/2021 14:30

Cesar Greco/Palmeiras

Palmeiras e Santos vivem grandes momentos na temporada. Os dois times se enfrentarão na final da Libertadores 2020, e o alviverde ainda tem a decisão da Copa do Brasil pela frente, contra o Grêmio. E o que os rivais têm em comum?

Os paulistas apostaram na garotada da base e os jovens deram conta do recado. Com futebol de gente grande, os garotos não sentiram o peso de subir para o profissional e foram fundamentais na reta final de temporada de ambos os clubes.

Os novos meninos da Vila
O técnico Cuca sempre foi conhecido por dar espaço para os garotos da base. E no Santos, não foi diferente. Impedido de contratar jogadores devido a uma restrição na Fifa por conta de uma dívida na contratação do venezuelano Soteldo, o treinador foi encontrar soluções para a temporada na base do clube.

Assim, o treinador foi atrás de novos talentos e a garotada não deixou a desejar. O técnico já vinha dando mais oportunidades a garotos como Kaio Jorge e Lucas Braga, apesar do jovem ponta não ter sido formado no clube. E no meio da temporada nomes como Sandry e os goleiros Jhon e João Paulo também despontaram no time titular.

Autor de três gols contra o Grêmio nas quartas de final da Copa do Brasil, Kaio Jorge encabeça a lista dos novos Meninos da Vila. Com um valor de mercado de 12 milhões de euros, o centroavante se tornou peça fundamental no ataque de Cuca, sendo municiado por Soteldo e Marinho.

Lucas Braga é o outro nome do ataque que vem conquistando Cuca e a torcida do Santos. O jovem atacante de 24 anos foi um dos destaques na vitória por 3 x 0 sobre o Boca Juniors e vem ganhando mais espaço no setor esquerdo da ofensiva santista.

A renovação no Peixe também acontece no gol. No começo do trabalho de Cuca, João Paulo era o responsável pela contenção de gols no time paulista e logo se destacou no gol do Santos. O goleiro foi perdendo espaço para Jhon, mas atuou na vitória sobre o Boca e fechou o gol, sendo um dos grandes responsáveis pelo time não ter sido vazado.

João Paulo substituía Jhon, novo titular de Cuca. O goleiro de 24 anos teve Covid-19 às vésperas da partida e não enfrentou a equipe argentina, mas tem a confiança do treinador.

As crias de Luxa
Um dos pedidos da diretoria do Palmeiras a Vanderlei Luxemburgo em seu início de trabalho no alviverde foi a utilização da categoria de base no profissional. O treinador acatou e lançou nomes até então desconhecidos do torcedor palmeirense, como Patrick de Paula, Gabriel Menino, Danilo e Wesley. Os jovens se juntavam a Gabriel Veron, fenômeno das competições de base e campeão mundial com a seleção sub-17.

Aos poucos, os jovens iam mostrando seu valor e não demorou para serem titulares com Luxemburgo. Dos garotos que subiram para o profissional, Patrick de Paula foi quem se destacou de forma mais rápida, sendo autor do gol de pênalti no título paulista contra o Corinthians. Mas o volante, assim como todo o time, caiu de produção e teve que voltar a lutar por seu espaço.

Em contrapartida, Gabriel Menino mostrou a que veio. Com personalidade, o lateral/volante virou titular absoluto ainda com Luxemburgo e chegou a ser convocado para a Seleção Brasileira. O camisa 25 é um dos pilares da equipe e foi fundamental na Copa do Brasil e na Libertadores. Na vitória por 3 x 0 sobre o River Plate na semifinal da competição continental, o garoto foi um dos destaques do time e contribuiu de forma decisiva na classificação da equipe à final do certame.

O volante Danilo ganhou espaço com a lesão de Felipe Melo, que ficou afastado por três meses. Responsável pela contenção de jogadas, a cria do alviverde mostrou personalidade e logo conquistou o torcedor. Com uma boa saída de bola e inúmeros desarmes por jogo, Danilo cumpre bem o papel de substituir o Pitbull no meio de campo do Palmeiras.

Wesley e Veron se destacaram no ataque palmeirense. Mas os dois atacantes sofreram com lesões em 2020 e se recuperam para a temporada 2021. Ainda assim, a dupla foi importante em algumas vitórias da equipe no ano.

Rolê marcado
Agora, as duas gerações de novos talentos de Santos e Palmeiras têm encontro marcado no dia 30 de janeiro. Os dois times se enfrentarão na final da Libertadores, no Maracanã. Antes, focam no Campeonato Brasileiro, já que ainda possuem chances consideráveis de título e de conquista da vaga na Libertadores.

A garotada do Palmeiras ainda tem outra final para fazer: contra o Grêmio, pela Copa do Brasil, em fevereiro.

Vídeos
Últimas notícias