Dominick Cruz detona árbitro do UFC 249: “Cheirava a álcool e cigarro”

O norte-americano foi nocauteado por Henry Cejudo, no sábado, e reclamou da intervenção do juiz do Ultimate, Keith Peterson, no 2º round

atualizado 11/05/2020 12:14

Dominick Cruz é retirado de luta pelo árbitro do UFCJeff Bottari/Zuffa LLC

O ex-campeão do peso galo, Dominick Cruz, não ficou nada satisfeito como se deu sua primeira derrota por nocaute no UFC 249. No sábado, ele foi superado por Henry Cejudo no segundo round, após intervenção do árbitro Keith Peterson. Para o experiente norte-americano, a paralisação foi precoce.

Dominick Cruz, irritado, chegou a sugerir antidoping ao juiz do combate. “Às vezes, gostaria que houvesse uma forma de manter esses árbitros um pouco mais responsáveis. O cara cheirava a álcool e cigarros. Então, quem sabe o que ele estava fazendo? Eu gostaria que eles passassem por testes toxicológicos”, disparou o ex-campeão, logo após a derrota.

O combate foi interrompido após Cejudo acertar uma joelhada em Cruz e golpeá-lo no chão. Para o norte-americano, porém, as tentativas de levantar deveriam ser um sinal ao árbitro de que estava em condições de luta.

“O meu argumento é que, se estou de pé, como estou nocauteado? Você não pode ficar de pé e ser nocauteado ao mesmo tempo”, desabafou Cruz, na volta do UFC em meio à pandemia do novo coronavírus.

Os brasileiros no UFC 249

O UFC 249 contou ainda com a vitória do brasiliense Vicente Luque. Ele nocauteou Niko Price no terceirou round.

Também presente no retorno do UFC, o brasileiro Frabrício Werdum não foi bem. Ele saiu derrotado contra Alexey Oleinik por decisão dividida dos árbitros.

Ronaldo Jacaré, outo brasileiro que estava escalado para o UFC 249, testou positivo para o novo coronavírus e ficou fora do card.

Vídeos
Últimas notícias