*
 

Hoje em dia, não é grande surpresa aprender que ser youtuber se tornou uma carreira lucrativa, caso executada corretamente. A Forbes fez uma lista estimando os criadores de conteúdo mais bem-pagos do YouTube. Entre eles estão nomes como PewDiePieLogan, Jake Paul, Jacksepticeye, Jeffree Star e Dude Perfect.

A surpresa para muitos, porém, foi o primeiro lugar da lista: um garoto de 7 anos, Ryan, do Ryan ToysReview. Criado em março de 2015, o espaço sempre teve o objetivo de mostrar o menino brincando com brinquedos específicos, como trenzinhos da Lego ou massinha Play-Doh. Hoje, seu vídeo mais popular tem mais de 1,6 bilhão de visualizações, ajudando o canal a acumular 25,9 bilhões de views.

Embora ele tenha 17 milhões de seguidores – longe dos 74 milhões de Felix Kjellberg –, estima-se que seu canal lucre entre US$ 139,3 mil e US$ 2,2 milhões por mês. Enquanto isso, o PewDiePie tem seu canal desde 2010 e conseguiu 19 milhões de visualizações no total. Seu vídeo mais popular possui mais de 84 milhões de views, e mesmo assim ele continua na nona posição, com lucro estimado de US$ 15,5 milhões.

Reprodução do SocialBlade

Os gráficos de projeções para o canal de Ryan mostram apenas crescimento para o garoto

 

Essa disparidade se dá pelo algoritmo do YouTube, o qual promove mais o conteúdo familiar do que o produzido por nomes como PewDiePie. Por causa desse sistema, na lista, a grande maioria dos criadores produzem conteúdos voltados a crianças, como vídeos de gameplay de Minecraft ou produções simples e fáceis de acompanhar.

No último mês, o Ryan ToysReview recebeu mais de 557 milhões de visualizações e mais de 405 mil novos inscritos. Isso se dá, de acordo com hipóteses de estudiosos da área, por causa da alta visibilidade do canal do garoto no aplicativo YouTube Kids, desenvolvido para ser simples para crianças.

Assim, a maior parte dessas milhares de visualizações vem de crianças que assistem aos vídeos repetidamente. O menino também já é garoto-propaganda de sua própria linha de brinquedos e roupas.

As previsões da Forbes são estimadas com base no período de junho de 2017 até junho de 2018. Elas também não levaram em conta impostos e outros gastos, como pagamento de salários de agentes, assistentes, advogados, etc. Além disso, esse dinheiro é somente o recebido pelo YouTube.

Jeffree Star, por exemplo, também é cofundador da Jeffree Star Cosmetics, que vende um valor estimado de US$ 100 milhões em produtos de maquiagem por ano. No YouTube, ele recebe US$ 18 milhões e está na quinta posição.