Globo altera prêmio final do BBB após 12 anos: entenda a mudança

Emissora procura um patrocinador para dar um "up" na premiação de R$ 1,5 milhão do Big Brother Brasil 23

atualizado 02/09/2022 15:17

Divulgação

A Globo teria cedido a pressão do público e alterado o valor do prêmio da próxima edição do Big Brother Brasil. A partir do BBB23, que estreia em janeiro, a emissora procura um patrocinador para dar um “up” na premiação de R$ 1,5 milhão.

De acordo com o jornalista Gabriel Vaquer, do Notícias da TV, o prêmio do BBB23 continuará em R$ 1,5 milhão, mas o programa vai pagar uma quantia — não informada pela reportagem — por cada Paredão que o vencedor se livrar até o fim da edição. Tudo isso será bancado por um patrocinador.

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
Publicidade do parceiro Metrópoles 2
Publicidade do parceiro Metrópoles 3
Publicidade do parceiro Metrópoles 4
Publicidade do parceiro Metrópoles 5
Publicidade do parceiro Metrópoles 6
Publicidade do parceiro Metrópoles 7
Publicidade do parceiro Metrópoles 8
Publicidade do parceiro Metrópoles 9
Publicidade do parceiro Metrópoles 10
0

Sendo assim, cada vez que um participante ficar na casa por mais uma semana, ele soma um valor que ficará guardado em uma “poupança”. Se ele é eliminado, o valor é perdido. No entanto, se vencer o programa, poderá retirar a quantia junto com o prêmio da atração.

Um plano comercial do reality show divulgado pelo site diz que a emissora deu até o próximo dia 16 para que empresas que patrocinaram o BBB no ano passado digam se continuarão com a parceria em 2023.

“Teremos uma premiação dinâmica que potencializa os tradicionais R$ 1,5 milhão. Se por um lado um sonho é interrompido pela eliminação, por outro, quem sobrevive ao paredão pode ganhar ainda mais dinheiro. Uma marca patrocinadora é a responsável por toda essa dinâmica, que será customizada e desenhada pela direção artística de acordo com briefing e estratégia do cotista”, diz a emissora dos Marinhos no plano. Segundo o site, o valor que será pago ainda não está fixado.

Mais lidas
Últimas notícias