metropoles.com

Valesca Popozuda se une a Tati Quebra Barraco e enaltece Anitta

Na última-sexta (9/7), a dona do hit Beijinho no Ombro lançou Faz Direito, que ainda conta com a participação de WC No Beat

atualizado

Reprodução/Instagram
Foto colorida de Valesca Popozuda

Valesca Popozuda e Tati Quebra Barraco lançaram, na última sexta-feira (9/7), a música Faz Direito, que também contou com a participação de WC No Beat. Em entrevista ao Metrópoles, a dona hit Beijinho no Ombro contou que muitas pessoas já estavam pedindo a parceria de duas das precursoras do funk nacional.

A música, que já passou de 65 mil visualizações, é o primeiro dueto entre as duas cantoras. Valesca também analisou o sucesso de Anitta, a elegeu como uma das cantoras que mais representa a essência do funk brasileiro e apontou Ludmilla como um “ícone que está explodindo”

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
Publicidade do parceiro Metrópoles 2
Publicidade do parceiro Metrópoles 3
0

Valesca Popozuda revelou que já estava muito afim de fazer um hit com Tati Quebra Barraco. “Quando eu estava no meu escritório, decidindo o planejamento de carreira, batemos o martelo de fazer uma música com o WC e com a ideia de botar uma outra mulher, junto comigo, neste feat. Na hora veio a Tati na minha cabeça”, contou a funkeira, que também revelou que a canção nasceu em uma tarde.

Ao falar sobre o feat, a artista rasgou elogios a Quebra Barraco. “Eu sempre admirei a Tati. Muito fã do trabalho dela desde o início. Meu público e o dela sempre pediram essa parceria. E são novos tempos. Nossos caminhos se cruzaram graças ao WC, que é o grande responsável por esse feat”, explicou.

Sobre o cantor, a funkeira também foi só elogios. “Ele teve total importância. A batida, a energia dele, as ideias dele… Tudo se encaixou. E ele se entregou de uma forma absurda. Não só ele, a Tati também. E assim nasceu Faz Direito”, explicou.

Valesca também pontuou que o resultado ficou ainda melhor do que imaginava, uma vez que as artistas fizeram o que queriam. “Eu sempre acredito nos meus trabalhos. Eu sabia que a Tati e o WC iriam abrilhantar a música e não tinha como o nosso público não gostar. Foi o feat que eles sempre pediram”, contou.

Mulheres no funk

Se hoje as mulheres têm um espaço muito amplo no funk, uma das responsáveis por angariar esse espaço foi Valesca. Não à toa, ao lado de Tati Quebra Barraco, a cantora é considerada uma das precursoras do ritmo e não esconde a alegria de ser detentora de uma alcunha como essa.

“Eu tenho muita honra. Nós levamos muita porrada para que uma mulher fosse aceita no palco. Me sinto muito orgulhosa quando vejo o funk sendo sucesso mundial”, explicitou, acrescentando, ainda, o segredo de estar há tanto tempo na estrada fazendo grandes sucessos.

“Eu acredito que o ‘ser eu mesma’. Sem almejar o sucesso do outro, sem inveja, sem passar por cima de ninguém. Sendo fiel a quem a minha mãe me criou para ser”.

Muitas cantoras hoje se sobressaem no gênero musical, como Anitta, que chegou ao Top 1 mundo do Spotify com o hit Envolver. Valesca é categórica quando perguntada se a Poderosa representa o funk brasileiro. “Sim, claro! Ela já gravou com a Madonna. Ela merece o lugar que alcançou. Na verdade, eu sinto que ela ainda não atingiu o objetivo dela. E isso é maravilhoso de acompanhar. Torço muito por ela”, declarou.

Na sequência, Valesca também revelou outro nome que também está representando muito bem o funk. “Nossa, tem tanta gente. Eu fico até com medo de falar um nome e ser injusta com dez. Mas a Ludmilla é um ícone que está explodindo”, completou.

Para este ano, Valesca Popozuda garante que ainda tem muita coisa vindo por aí. “Parcerias muito bacanas, clipes já gravados… 2022 vai ser um ano incrível. E se Deus quiser, vem meu primeiro DVD”, finalizou.

Quer ficar por dentro do mundo dos famosos e receber as notícias direto no seu Telegram? Entre no canal do Metrópoles: https://t.me/metropolesfamosos 






Quais assuntos você deseja receber?