“Chegamos ao limite da água mais funda”, avisa Jards Macalé em Trevas, sua primeira música inédita em 20 anos. No dia 8 de fevereiro, o artista lança seu primeiro disco desde O Q Eu faço É Música, de 1998, (o novo álbum ainda não tem título definido).

A faixa foi composta por Jards a partir de um poema de Ezra Pound, Canto I, em tradução dos irmãos Campos e de Décio Pignatari. Ele faz voz e violão, ao lado de Kiko Dinucci (violão), Pedro Dantas (baixo), Thomas Harres (bateria) e Guilherme Held (guitarra).

“Trevas é sobre o Brasil do futuro. Chegamos ao poço mais fundo, chegamos ao limite, chegamos ao Brasil de 2019”, diz Jards no material de divulgação da música.

Ele cantou uma parte da canção com a cara enfiada numa bacia d’água.

A música tem um clima noir, traz uma marca do compositor em conversa direta com a produção contemporânea de seus parceiros, especialmente com os trabalhos recentes de Rômulo Fróes e Kiko Dinucci.

O novo disco tem direção musical do próprio Jards Macalé, direção artística de Rômulo Fróes e produção musical de Kiko Dinucci e Thomas Harres. Entre os compositores e parceiros de Jards no disco, estão Ava Rocha, Tim Bernardes, Clima, Rodrigo Campos, Kiko Dinucci, Rômulo Fróes, Thomas Harres e Capinam.