Músico negacionista da banda neonazista Screwdriver morre de Covid

O ativista da extrema direita foi cremado na última quarta (19/1). Ele dizia que a pandemia era um "complô judaico-marxista"

atualizado 23/01/2022 21:55

Twitter/Reprodução

Um dos ativistas da extrema direita mais conhecidos da Irlanda, “Big Merv” Shields morreu na noite de Réveillon, vítima de complicações da Covid-19. O guitarrista da banda neonazista Screwdriver foi cremado na última quarta-feira (19/1), em Belfast, sem a presença de nenhum familiar ou amigo.

Ele costumava dizer que a doença e as vacinas que surgiram para enfrentá-la na verdade eram um “complô judaico-marxista”.

O músico, que estava com quase 50 anos, sofria de problemas de saúde e viveu recluso durante a pandemia. Apesar disso, continuava compartilhando mensagens de ódio em suas redes sociais. De acordo com o site Sunday World, a última foto publicada por ele trazia os dizeres “mate um comunista para a mamãe”. Screwdriver gravou três álbuns e é conhecida por letras racistas e que exaltam o “poder branco”.

Mensagens de condolências de neonazistas em toda a Europa inundaram as mídias sociais após a notícia da morte de Shields.

Mais lidas
Últimas notícias