Entenda o motivo da treta de Gusttavo Lima e artistas do Festeja

A agenda cruzada do show em Brasília trouxe à tona uma confusão que expõe disputas entre os escritórios Workshow e Audiomix

Matheus Lima/DivulgaçãoMatheus Lima/Divulgação

atualizado 14/10/2019 22:12

O choque nas agendas dos festivais Festeja e Buteco do Gusttavo Lima, em Brasília, no último sábado (12/10/2019), continua dando o que falar. Na capital federal, o embaixador venceu a primeira batalha pela preferência popular, com público de 45 mil pessoas, contra os 20 mil dos “seus concorrentes”. O embate expôs as disputas que acontecem nos bastidores dessa parcela da indústria fonográfica brasileira, e prova que o movimento sertanejo não é tão unido quanto parece. Com tantas informações desencontradas, o Metrópoles resolveu explicar a treta.

A treta

As confusões começaram em julho, depois de um desabafo feito por Gusttavo em suas redes sociais: “Nossos projetos têm incomodado muita gente aí. A gente lança um evento numa cidade tal, sempre vem alguém querendo uma semana antes lançar outro show, querendo prejudicar”, afirmou, à época. “Então, quando vocês virem aí show com diferença de uma semana pro outro, de um dia pro outro, na mesma cidade, mesmo local, mesma região, podem ter certeza que tem muita maldade, muita perseguição”, completou.

A fala do mineiro de Presidente Olegário causou um alvoroço na internet, e os fãs mais apaixonados começaram a especular para quem deveria ser a indireta. Wesley Safadão, que tinha um show marcado dois dias após a gravação do DVD de Gusttavo Lima em Crato, Ceará, teve de se defender. “Eu não cheguei onde estou prejudicando ninguém. Eu não tenho concorrente, eu sou meu próprio concorrente”, respondeu Safadão.

Ainda em busca de um bode expiatório, alguns admiradores do marido de Andressa Suita apontaram Marília Mendonça como responsável pela realização do Festeja no mesmo dia e local do Buteco. A Som Livre, responsável pela realização do evento, que irá virar especial de fim de ano da TV Globo, também negou qualquer implicância com o artista. “A data e o local da edição do Festeja Brasília já estavam reservados há cerca de um ano e confirmados desde o início de julho. A Som Livre segue afirmando seu compromisso com a música sertaneja, torce para que cada vez mais tenha novos eventos do gênero e deseja sucesso a todos”, disse a gravadora em nota.

Troca-troca de escritórios

Para dar fim ao disse me disse, Gusttavo se pronunciou e garantiu não estar falando de ninguém em específico, e sim do mercado da música como um todo. E ele não mente, já que as duas maiores empresas que gerenciam a carreira e agenda dos principais nomes sertanejos do país – a Audiomix, dona do Vilamix, e a Workshow, realizadora do Festeja – não escondem a rivalidade.

Há tempos, o troca-troca de escritórios de Gusttavo Lima – em busca de independência artística – não tem agradado aos figurões do show business. Mesmo com multas rescisórias milionárias, perder o embaixador significa perder status. E ele não facilitou: em menos de dois anos, o cantor deixou a Audiomix, assinou com a Workshow e voltou para a Audiomix, de Matheus & Kauan, Safadão, Xand Avião, Kevinho e Jorge & Mateus – que também estão prestes a assinar com a Workshow.

Simultaneamente, ele tem focado seu próprio escritório, o Balada Music. O qual acaba de fechar parceria com o forrozeiro Wallas Arrais e o goiano Felipe Araújo. “Eles chegam num momento muito especial para o nosso escritório. Felipe é um grande talento, além de ser um cara incrível, e o Wallas é simplesmente um fenômeno, estourado. O que posso dizer é que estou feliz demais e bastante otimista com essa fase e com os projetos que iremos realizar com esses dois artistas tão bacanas”, explicou Lima ao Metrópoles.

O fato é que toda a repercussão das brigas dos bastidores tem se virado a favor de Gusttavo Lima. Segundo ele, o show de Brasília vai ficar gravado em sua memória. “Foi realmente incrível, fizemos história com mais de 45 mil pessoas nos prestigiando. Só quero mesmo agradecer a Deus e a toda galera que esteve com a gente acreditando e apostando nesse projeto”, conclui. Nas agendas de outubro divulgadas até a publicação desta matéria, não aparece nenhuma “coincidência” de datas de shows entre os artistas dos escritórios rivais.

Últimas notícias