Primeira galeria de arte colaborativa do DF abre em Águas Claras

No Cowmeia, os artistas não pagam para expor suas obras, mas doam parte do valor das vendas à causa dos Médicos Sem Fronteiras

JP Rodrigues/MetrópolesJP Rodrigues/Metrópoles

atualizado 03/05/2019 20:50

Encontrar um espaço para expor suas obras é um dos principais desafios vivenciados por artistas plásticos da capital federal. Se quem assina a mostra for iniciante ou mulher, as barreiras então se intensificam. Pensando nisso e em “fomentar a arte na comunidade”, o Cowmeia Coworking inaugurou a primeira galeria colaborativa do Distrito Federal.

Localizado em Águas Claras, o espaço conta com 600m² e comporta, simultaneamente, cerca de 70 peças de até quatro artistas diferentes. “Fazemos uma curadoria básica apenas para não ter nenhum conflito com o conceito do coworking, que é de valorização da diversidade”, explica Thiago Miotello, um dos sócios do empreendimento.

Os trabalhos selecionados ficam expostos por um período máximo de 20 dias. A ideia é que haja uma rotatividade de mostras na galeria. “Assim mantemos o interesse das pessoas e conseguimos, de fato, apoiar mais artistas locais”, afirma Thiago. Há apenas um pré-requisito para a utilização da galeria: doar parte do valor arrecadado com a venda das obras para a organização de ajuda humanitária Médicos Sem Fronteiras.

“Não cobramos nada dos artistas pela utilização do espaço, mas o Cowmeia nasceu com foco em desenvolvimento humano para contribuir com o coletivo. Ações com viés social e solidário fazem parte do nosso DNA”, ressalta o CEO. “O valor da doação não é previamente estipulado por nós, fica a cargo de cada um dos expositores”, completa.

Paisagens Faciais — Série Jazz
Ribamar Fonseca, 53 anos, nasceu no Maranhão, mas veio ainda criança a Brasília. Foi na cidade dos sonhos de Dom Bosco que o artista plástico se formou e arriscou as primeiras pinceladas. O veterano foi o responsável pela exposição de abertura da galeria com Paisagens Faciais, Série Jazz — retratos de astros da música mundial como Nina Simone e Ray Charles feitos em acrílico com forte influência na técnica respingada de drip painting.

“Eu acho sensacional esse modelo de galeria compartilhada e colaborativa. É uma proposta de extrema relevância para a cidade, que faz muito bem à cena cultural”, elogia o pintor.

De acordo com Fonseca, os artistas em começo de carreira, ainda em fase de construção de uma personalidade e obras consistentes, são os que mais ganham com o coworking. “Mesmo quando conseguem encontrar essa identidade, romper a barreira dos muitos ‘nãos’ e garantir o primeiro degrau da escada é muito difícil”, considera o artista, que já trabalha na segunda fase da coleção Paisagens Faciais. “Eu convidei 15 brasilienses ilustres para posarem para mim dentro de um ambiente diferente”, adianta.

JP Rodrigues/Metrópoles
Ribamar Fonseca celebra os bons frutos de sua primeira exposição no Cowmeia

 

Primeiro Coworking aberto 24 horas da América Latina
Ao todo, o Cowmeia ocupa uma área de 2.400m², onde convivem outras 11 modalidades diferentes de serviços compartilhados, entre eles, barbearia, salão de beleza, spa voltado para terapias ocupacionais como acupuntura, aromaterapia, pedras quentes e consultório para atendimento terapêutico.

Em breve, será inaugurada uma cafeteria com opções de cafés, bebidas e lanches diversos. Para os produtores de conteúdo digital, como influenciadores e youtubers, há estúdio de gravação de áudio, vídeo e fotografia. A estrutura oferece espaço de descompressão, com mesa de sinuca, pufes e fliperama. Além de espaços de trabalho, há cabines telefônicas, endereço fiscal, auditório e área de eventos para até 200 pessoas.

Antes de montar o Cowmeia, Thiago passou uma temporada em São Paulo, visitando os maiores coworkings da capital paulista. “Fomos aos mais modernos espaços e conseguimos pegar as boas ideias, um pouquinho de cada um, e trouxemos a Brasília”, conclui o empreendedor.

Cowmeia Coworking (Rua das Pitangueiras, lote 05,  Edifício Easy, Àguas Claras)
Aberto 24h. Para frequentar as instalações a partir das 18h, é preciso deixar o horário agendado. Para utilizar o espaço do Cowmeia diariamente, o valor é de R$ 390 até o final do mês de maio. Para a utilização avulsa, a diária custa R$ 45. Informações para expor na galeria: 61 99129-2132 (Stephanie Souza)

Últimas notícias