Brasília tem 3 projetos culturais selecionados pelo Programa Oi Futuro

Favela Sounds, Festival Plural e Vamos ao Cinema! figuram entre os 48 projetos de arte e cultura escolhidos em oito estados diferentes

Rômulo Juracy/DivulgaçãoRômulo Juracy/Divulgação

atualizado 09/08/2019 15:27

Rio de Janeiro* – O Programa Oi de Patrocínios Culturais Incentivados chegou à sua 16ª edição com 48 projetos artísticos de oito estados brasileiros selecionados. Entre eles, três iniciativas brasilienses receberão fomento da empresa: Favela Sounds, Festival Plural e Vamos ao Cinema!

“Para esse ano, fizemos um edital sem caixinhas. Não dividimos projetos por dança, por teatro. Avaliamos os projetos”, conta o gerente executivo do Oi Futuro, Roberto Guimarães. Em 2019, foram inscritos 1.382 projetos de Rio de Janeiro, São Paulo, Distrito Federal, Bahia, Ceará, Pará, Rio Grande do Norte e Rio Grande do Sul: a empresa realiza a ação em estados da federação que têm leis próprias de fomento e renúncia fiscal para iniciativas culturais.

Antes de serem avaliados pela comissão da Oi, todos os projetos passam pelo crivo de jornalistas, artistas, curadores e pessoas da comunidade de cada estado participante da iniciativa. A lista completa dos artistas contemplados pela empresa está no site do programa.

Centro cultural

O programa ainda selecionou projetos originais de artes visuais, digitais e integradas para ocupar as galerias do Centro Cultural Oi Futuro, no Rio de Janeiro, e um conjunto de espetáculos inéditos a serem encenados em teatros.

A casa já abriga alguns projetos ligados à iniciativa. No primeiro andar, o poeta carioca Paulo Sabino realiza sua primeira exposição solo. Em Somos Somas, ele e outros 9 convidados leem poemas para uma câmera, e têm suas imagens projetadas nas paredes. “A ideia é mostrar que somos únicos, mas estamos costurados numa coisa só. Sozinho ninguém vai longe, né?”, questiona o escritor.

Nos andares superiores, os resultados do primeiro programa de residência artística promovido pela Oi, ao lado da Zucca Produções. A Artsonica consiste de nove instalações, fruto de um laboratório de experimentação realizado com artistas de todo Brasil.

“O que está sendo exibido é um registro de um determinado momento de uma linha do tempo, que pode ter começado antes do início das residências e que, talvez, não tenha se esgotado ainda. Os artistas têm a possibilidade de continuar a trabalhar para além do que está sendo mostrado em nossas galerias”, comemora Guimarães.

Artsonica e Somos Somas, de Paulo Sabino
Até 15 de setembro, no Centro Cultural Oi Futuro (Rua Dois de Dezembro, 63, Flamengo, Rio de Janeiro). De terça a domingo, das 11h às 20h. Entrada franca. Classificação indicativa livre

*A repórter viajou a convite da Oi para a divulgação dos selecionados

Últimas notícias