Zoológico de Brasília faz ensaio fotográfico com Naja que picou estudante

Cobra era mantida clandestinamente como animal de estimação em casa no Guará 2

atualizado 11/07/2020 11:52

ensaio com naja zoológico de BrasíliaIvan Mattos/Zoológico de Brasília/Reprodução

A cobra Naja que ganhou os noticiários do Distrito Federal esta semana está de casa nova. O réptil, que era mantido clandestinamente como animal de estimação no Guará 2 e chegou a picar o estudante que a fazia de pet, está sob os cuidados do Zoológico de Brasília e estrelou até um ensaio fotográfico para o local. Ao julgar pelas fotos, o animal está feliz e saudável no novo lar.

As imagens foram divulgadas no perfil do zoo no Facebook. “A naja de monóculo está conosco desde a última quarta-feira e hoje, depois da avaliação incial, sua caixa foi aberta e ela acessou o recinto. O manejo ocorreu seguindo todos os protocolos de segurança e contou com uma equipe experiente em manejo de serpentes”, informou a instituição, em nota.

O animal ganhou um ambiente adequado para sua espécie. Segundo o zoo, tudo foi feito com o objetivo de promover o bem-estar da naja até que se decida se ela será transferida a outro zoológico ou centro de pesquisa.

Na publicação do ensaio, internautas escreveram diversos comentários como “Ainda bem que já saiu da caixa, tadinha”, “Linda demais” e “Espécie poderosa”.

Veja as fotos:

0

 

Entenda o caso

O estudante Pedro Henrique Santos Krambeck Lehmkul, que mantinha a cobra como animal de estimação, foi picada por ela nessa terça-feira (7/7). Tão logo foi atacado pela Naja, Pedro foi levado ao hospital pelos pais. Ele apresentava palidez, tontura e dormência nos membros inferiores, sintoma que evoluiu e atingiu os membros superiores.

Após uma corrida contra o tempo para encontrar o soro antiofídico contra esse tipo de Naja, o rapaz foi induzido ao coma. Ele acordou após os médicos terem retirado o suporte ventilatória e apresentou melhora significativa. Deve receber alta da unidade de terapia intensiva (UTI) do Hospital Maria Auxiliadora, no Gama, neste sábado (11/7). A previsão é de que ele siga em observação em um dos apartamentos da unidade hospitalar.

Segundo o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), não existe registro, nos últimos anos, de entrada legal de uma cobra dessa espécie no Distrito Federal.

O animal exótico foi encontrado no fim da tarde dessa quarta-feira (8/7), dentro de uma caixa de plástico, próximo a um barranco, nas redondezas do shopping Pier 21, no Setor de Clubes Sul. Como Pedro não tem autorização para criar o animal, ele pode ser multado em até R$ 5 mil.

A suspeita de investigadores da Delegacia de Combate à Ocupação Irregular do Solo e aos Crimes contra a Ordem Urbanística e o Meio Ambiente (Dema) é de que a serpente tenha sido alvo de tráfico internacional de animais exóticos. Ela agora está sob os cuidados do Zoológico de Brasília.

Últimas notícias