Vídeos. Chuva causa alagamentos, abre cratera e atola veículos no DF

Entre as regiões mais atingidas, estão Vicente Pires e Samambaia. Tempestade da noite dessa quarta-feira (15/05/2019) durou uma hora

Divulgação/ CBMDFDivulgação/ CBMDF

atualizado 16/05/2019 10:55

A chuva forte que começou por volta das 20h dessa quarta-feira (15/05/2019) durou cerca de uma hora e causou estragos em algumas regiões administrativas. Enxurradas, alagamentos e buracos nas pistas foram alguns dos transtornos enfrentados pelos brasilienses.

Uma das áreas mais castigadas foi Vicente Pires. Na cidade, um trator ficou atolado na lama (foto em destaque). Passageiros de um ônibus também precisaram descer e ajudar a empurrar o coletivo agarrado no lamaçal.

Moradores relataram ainda que a chuva chegou a invadir estabelecimentos comerciais e casas. As vias ficaram tomadas pela água. Devido a enxurradas em diversas ruas, os veículos não puderam transitar.

Em Samambaia Sul, o Corpo de Bombeiros foi acionado após uma cratera se abrir no asfalto na QR 301, em frente aos condomínios Via Solares e Via Tropical, onde está sendo feita uma obra na rede de galerias pluviais. A corporação emitiu um alerta para que pessoas tirassem os carros estacionados na região.

A Defesa Civil emitiu, por volta das 20h20 dessa quarta-feira (15/05/2019), alerta de chuvas intensas para os moradores de Águas Claras, Asa Sul, Ceilândia, Guará, Samambaia, Taguatinga e Vicente Pires.

Segundo o Departamento de Estradas de Rodagem (DER-DF), foram registrados pontos de alagamento na Estrada Parque Taguatinga (EPTG) e adjacências.

O DER-DF informou que o viaduto Israel Pinheiro – responsável pela ligação entre Vicente Pires e Águas Claras, além de servir de acesso às duas cidades para quem vem pela pista principal – ficou tomado pela água e registrou grande congestionamento.

No cruzamento próximo à chegada em Taguatinga, perto do shopping da cidade, e no Sol Nascente, a situação também foi crítica.

Confira imagens do alagamento em Vicente Pires, Taguatinga e no Sol Nascente:

Volume de chuva
De acordo com o meteorologista do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) Hamilton Carvalho, os índices superam a média de maio de anos anteriores. “O acumulado até quarta-feira foi de 76,2 milímetros (mm), o que representa mais que o dobro da média para o mês de 29,7 mm”.

Para o meteorologista, o acumulado era esperado. “Consideramos normal. Tivemos chuvas muito concentradas no início deste mês. Agora, não devem mais ser registradas”, acrescentou.

Últimas notícias