União é dona de 1,2 mil apartamentos no Plano Piloto

Imóveis de três ministérios e da Presidência da República representam 1,7% das residências da área nobre de Brasília

JP Rodrigues/Metrópoles

atualizado 18/02/2020 11:02

O Governo Federal é dono de pelo menos 1,7%  dos apartamentos no Plano Piloto. Ao todo, são 1.230 unidades divididas entre o Ministério da Economia, da Defesa, das Relações Exteriores e a Presidência da República. Se forem considerados os 1.184 imóveis da Universidade de Brasília (UnB), a porcentagem sobe para 3,5%.

Levantamento do (M)Dados, núcleo de jornalismo de dados do Metrópoles, utilizou números da Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan), além de informações da UnB e do Portal da Transparência.

“O aspecto mais criticável dessa realidade é o benefício que algumas categorias têm frente a outras. Cessão quase gratuita constitui um privilégio odioso”, apontou o professor da Faculdade de Arquitetura da Universidade de Brasília (UnB), José Carlos Coutinho.

“Apartamentos da União devem servir como moradia temporária para as pessoas que passam um período determinado em Brasília. Mas virou um problema porque alguns funcionários continuam no apartamento após o prazo e o governo não retira. Em alguns casos, servidores donos de imóveis em Brasília usam o do poder público”, continuou.

A UnB possui o maior número de unidades. Em seguida, vem o Ministério das Relações Exteriores com 495; o Ministério da Defesa com 370; e a Secretaria do Patrimônio da União (SPU), do Ministério da Economia, com 297. A Presidência da República tem 68 imóveis funcionais.

Os apartamentos da União têm duas funções distintas: podem ser usados como moradia por servidores ou serem alugados/arrendados a terceiros. A SPU optou por colocar 118 imóveis vazios à venda.

 

Últimas notícias