UnB: 47 projetos de combate à Covid-19 têm financiamento aprovado

Edital destinou R$ 760 mil, provenientes do orçamento da Fundação Universidade de Brasília, a iniciativas em diversas frentes

atualizado 17/09/2020 9:13

Pesquisador-UnB-CoronavírusRafaela Felicciano/Metrópoles

O Comitê de Pesquisa, Inovação e Extensão de combate à Covid-19 (Copei) e os decanatos de Pesquisa e Inovação (DPI) e de Extensão (DEX) publicaram o resultado final do Edital nº 01/2020, que visa dar apoio financeiro à execução de pesquisas científicas e projetos tecnológicos, de inovação e de extensão, desenvolvidos na Universidade de Brasília (UnB) para enfrentamento ao novo coronavírus.

No total, foram contemplados 47 projetos, todos classificados nas duas chamadas prospectivas da instituição de iniciativas contra a Covid-19. “A instituição não ficou parada em nenhum momento desde o início da pandemia. Surgiram inúmeros projetos de pesquisa, inovação e extensão nos últimos cinco meses, a partir das chamadas do Copei, DPI e DEX, e isso resultou em um belo portfólio de projetos”, afirmou a presidente do Copei, Claudia Amorim.

O edital destinou R$ 760 mil, provenientes do orçamento da Fundação Universidade de Brasília, a projetos em diversas frentes. Cada um recebeu até R$ 30 mil.

Algumas iniciativas foram: plataformas computacionais para o monitoramento da saúde na pandemia; produção de diagnósticos para Covid-19; proteção social para populações vulneráveis; garantia de acesso à água em comunidades carentes; e divulgação de informação relacionada à pandemia (combate a notícias falsas).

“São projetos que buscam a melhoria da qualidade de vida das populações por meio dos resultados das pesquisas e das ações de extensão, papel fundamental da universidade pública, não somente em tempos de crise, mas, em especial, neste momento. Sem a ciência, a sociedade não alcança, facilmente, as respostas para situações como essa”, observou Claudia.

Fundo

A presidente do Copei também destaca a importância das doações realizadas por pessoas físicas e entidades aos projetos. Assim, o Comitê criou, em parceria com a Fundação de Empreendimentos Científicos e Tecnológicos (Finatec), um fundo de arrecadação de doações para financiar iniciativas da UnB voltadas ao enfrentamento à Covid-19. É possível contribuir clicando aqui.

Os recursos podem ser destinados a projetos específicos do portfólio da universidade ou ao fundo geral de doações. O comitê gestor do fundo vai direcionar as contribuições aos projetos seguindo os critérios de classificação nas chamadas prospectivas, com a máxima transparência.

“A participação da sociedade, do setor privado e da sociedade civil é crucial para que a universidade possa dar andamento às ações que concretizarão essas contribuições”, ressaltou Claudia.

0
Linguagem acessível

Um dos projetos contemplados pelo edital foi o da professora Fabiana Brandão, do curso de farmácia. A docente está à frente da elaboração do e-book “Covid-19 – Informação e cuidado para superar a crise”, que divulga informações científicas de combate à pandemia.

A proposta surgiu da preocupação com a forma como as informações relacionadas ao novo coronavírus chegariam à população de maior vulnerabilidade socioeconômica. “A primeira coisa que pensei foi: como posso popularizar a ciência? Como posso fazer com que a ciência e o conhecimento que temos na academia, particularmente na área da saúde e de microbiologia química, saiam dos muros da universidade?”, questionou a docente.

“Então, a chamada (prospectiva de projetos) de combate à Covid-19 me alertou muito e instigou isso dentro de mim. Pensei em criar um e-book que fosse popular, em uma linguagem muito mais fácil de compreensão, mas que fosse totalmente baseado em evidências científicas, escrito por estudantes, doutores e professores da área”, detalhou.

O livro tem oito capítulos, todos ilustrados, que abordam desde a virologia básica até métodos avançados de diagnóstico molecular. Um deles traz informações sobre medicamentos, vacinas e a importância dos estudos clínicos. A publicação também conta com uma parte dedicada às crianças.

Circulação

Assim que o projeto foi aprovado, montou-se uma espécie de comissão, formada por alunos da UnB em vários níveis, todos sob supervisão de professores orientadores. Os recursos para financiar o projeto foram destinados ao pagamento de bolsas aos estudantes que contribuíram para o desenvolvimento do e-book.

O livro foi incluído como material de consulta nas redes de ensino privada do Distrito Federal e de Minas Gerais, nas quais a Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes) sugeriu a adoção da publicação pela Secretaria de Educação do estado.

A partir da divulgação do e-book, a professora Fabiana espera que a ciência seja mais valorizada pela população. “A ciência é patrimônio, que deve contribuir com a humanidade e vem para nos trazer luz, não para nos deixar mais confusos ou virar arma política. A ciência é para informar, instruir e cuidar da humanidade”, pontuou a coordenadora do projeto.

Com informações de Secom UnB.

Últimas notícias